Presidente destina R$2 bi para compra de impressoras para viabilizar voto auditável em 2022

Na live desta quinta feira, 1 de julho, no seu canal oficial na internet, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou ter uma estimativa de 2 bilhões de reais guardados junto ao Ministério da Economia para a compra de impressoras. O objetivo é utilizá-las para a viabilização do voto auditável (quando é produzido um documento impresso a cada voto) nas eleições de 2022.

A discussão em torno do voto impresso volta à tona depois da orientação de presidentes de 11 partidos, aos parlamentares, de não votarem a favor da lei. A PEC do Voto Impresso é de autoria da deputada e líder do governo na Câmara, Bia Kicis (PSL). O principal argumento é de que o governo atual não tem provas das fraudes ocorridas. Desde 2018, Bolsonaro acusa o sistema eleitoral eletrônico de ser vulnerável a fraudes e reivindica o voto impresso, do contrário “teremos problemas nas eleições do ano que vem”, enfatiza ele na live.

O Japão e a Coreia do Sul foram citados como exemplos de países que não aceitam voto eletrônico. Mas é preciso cautela e estudo no momento de comparar com o Brasil.
Leia Também