“A leitura de mundo precede a leitura da palavra e a leitura desta implica na leitura daquela.”

Paulo Freire, 1985

A leitura é um componente indispensável no processo de desenvolvimento intelectual, pois tem o poder de nos tornar críticos e reflexivos. Contudo, para que tenha efeito, precisa ser um processo contínuo que se confunda até mesmo com o próprio fato de estar no mundo. Logo, não se pode separar o fato de ler, do fato de viver, de existir. Abrangendo não apenas a leitura da palavra, mas, todo e qualquer tipo de leitura que induza o indivíduo a compreender o mundo que o cerca. Ela é o melhor caminho para expandir o conhecimento tanto no campo do autoconhecimento, quanto do conhecimento de mundo.

Quem possui o hábito da leitura, torna-se mais analítico e contextual, aumentando sua capacidade criativa e seu raciocínio lógico. Quem não ler, não alcança um bom desenvolvimento cognitivo. Quem não ler, vive preso a um mundo restrito e repleto de alienação. Quem deseja libertar-se desse sistema de castração mental, precisa aprender a ler, libertar-se dessa mera decodificação dos símbolos alfabéticos e migrar para o discernimento interpretativo.

Tudo que se faz no âmbito do conhecimento depende da leitura. Nenhuma disciplina pode ser ministrada ou aprendida sem que haja um prévio entendimento de seus pressupostos e isso só se adquire, lendo. Instituições de ensino têm formado profissionais, que mal sabem escrever. Não tem havido a preocupação em desenvolver cabeças pensantes com atitudes analíticas, com suas percepções aguçadas, com capacidade de observar, refletir, julgar, comunicar e ouvir. Capazes de apresentar soluções às problemáticas que emergem no dia a dia.

A leitura tem o poder de conceder autonomia ao leitor, de libertá-lo. Contudo, a leitura que gera autonomia e liberdade não é aquela, apenas composta de palavras, mas também de imagens e movimentos que vamos lendo nas linhas da vida.

Para refletir!

Quantas vezes você parou para ler seu próprio mundo, conhecer-se de verdade, ler suas emoções e sentimentos. Conhecer suas forças e fraquezas?

Quantas vezes você parou, para ler e entender o mundo do outro e ajudá-lo a escrever sua história?

Quantas vezes você foi capaz de interpretar que nas entrelinhas de um sorriso havia traços ocultos de uma dor que não se quer mostrar?

 

A leitura, além de favorecer o aprendizado de conteúdos específicos, aprimora a escrita. (FOTO: Gessica Cavalcante)

Ainda que sejamos capazes de decodificar os significados e significantes dos símbolos gramaticais de todas as línguas, se não soubermos interpretar as entrelinhas do nosso mundo e o mínimo que seja, do mundo daqueles estão a nossa volta, seremos eternos analfabetos.

Feliz dia do leitor a todos os leitores das letras e da vida.

Simone Moura, Personal Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching, Especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho, Gestora de Recursos Humanos, cursando pós graduação em Docência do Ensino Superior e atuando como Assessora de Recursos Humanos do Grupo Paulo Correia (GPC Distribuidora),

http://simoneserrarhecoaching.blogspot.com.br/