Nesta segunda feira (26), o governador  do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou por meio de uma rede social, um decreto que proíbe o uso de fogo para a limpeza e manejo de áreas em todo o estado.

Vale salientar, que a medida não se aplica em terras indígenas ou unidades de conservação federais. A autorização especial para o manejo do fogo para queimas em áreas, será aprovada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema) de acordo com o corpo técnico do Corpo de Bombeiros do Maranhão.

 

https://twitter.com/FlavioDino/status/1166074973728968704

De acordo com o governador, a medida veio no intuito prevenir situações críticas capazes de provocar danos ambientais.

“Considerando que o Maranhão integra a Amazônia Legal, e visando prevenir situações críticas a queimadas, editei agora Decreto proibindo o uso de fogo para limpeza de áreas” disse.

O ultimo estado a aderir a Amazônia Legal, foi o Maranhão, antes do estado, Amapá, Acre, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Tocantins e Roraima já haviam pedido ajuda ao governo federal. Um centro de operações foi instalado no Pará para monitorar as ações de combate. E em Rondônia, aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) são usados no combate aos focos.

O decreto que autoriza o uso do Exército no combate as queimadas na Amazônia, foi assinado na última sexta-feira (23) pelo presidente Jair Bolsonaro. A medida foi tomada após uma série de críticas no Brasil e no exterior. Segundo o documento, as tropas serão usadas até o dia 24 de setembro.

Dados 

806 focos de incêndio foram registrados em apenas 48h no Maranhão (Foto: Douglas Júnior / O Estado)

Segundo dados do Inpe, entre os dias 1º e 27 de agosto, foram registrados 27.496 focos de queimadas na região da Amazônia Legal. Ainda de acordo com esses dados, o Maranhão foi responsável por 0,6% desses focos, com 155 registros. Isso coloca o Estado no 6º lugar no ranking de queimadas entre as nove unidades federativas.

Quem lidera essa lista no mês de agosto, é o estado do Pará, que já registrou 8.761 focos (31,9% do total). Em seguida vêm o Amazonas, com 61.44 focos (22,3%); Rondônia, com 5.351 (19,5%); Mato Grosso, com 4.473 (16,3%); e Acre, com 2.545 (9,3%).

Com menos focos de queimadas que o Maranhão, estão Tocantins, com 47 focos (0,2%); Amapá, com 16 (0,1%); e Roraima, com quatro (0%).