O ano letivo da educação infantil de Imperatriz começou com uma novidade, a implantação da Base Comum Curricular (BNCC), documento que define o conjunto de conhecimentos e habilidades essenciais para todos os estudantes do País, ela estabelece seis direitos de aprendizagem: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.

A primeira fase da educação básica, que envolve crianças de zero a cinco anos e 11 meses de idade,trabalhava desde 2009 apenas com as Diretrizes Curriculares Nacionais, com foco em dois eixos estruturais, interagir e brincar.

De acordo a coordenadora de Setor de Educação Infantil da Secretaria Municipal (SEMED), Lana Maria Vieira Zuza, a  BNCC não invalida os eixos estruturais, eles são importantes para o aprendizado das crianças,  a normatização da Base vai reforçar as diretrizes, “vai melhorar grandiosamente porque antes a gente trabalhava com as diretrizes, e a Base vai fortalecer os eixos principais, as interações e brincadeiras” comenta a coordenadora.

Em 2019, representantes de 217 municípios do território maranhense se reuniram em São Luís para elaborar o documento curricular da área, alinhado à BNCC, e  até o final deste ano todo o território nacional deve integrar-se a ela também.

O que muda com a BNCC

O objetivo é a normatização e unificação dos assuntos ministrados na educação infantil, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas, “o que as crianças aprendem lá no Sul as crianças do Nordeste, e do Maranhão aprendem também, ela veio unificar”, explica Zuza.

Outra mudança proporcionada com a Base é a forma como a criança é tradada no processo de aprendizagem, ela não é mais uma receptora das mensagens transmitidas pelos adultos, como explica a pedagoga Daiane de Sousa Nascimento, “as crianças passam a ter mais autonomia, passam a ser participante de seu próprio processo de aprendizagem, uma educação construtiva”.

Como a Base foi criada

A Base Comum Curricular não foi elaborada de uma hora para outra, ela foi aprovada em dezembro de 2017, após um processo de construção, que contou com a contribuição de educadores, especialistas e toda a sociedade. Ocorreram varias discussões visando a melhor forma de aplicar as novas diretrizes na educação infantil em todo Brasil.

A coordenadora Lana comenta que representou a cidade de imperatriz nesse processo, “participamos da elaboração da Base desde 2017, quando veio aprimeira versão.Participamos de formação para inserir a nossa vivência, aqui no Estado do Maranhão”.

Os desafios na aplicação

O Professor é o principal agente de aplicação da BNCC na educação infantil, eles têm o desafio de desenvolver as competências do aluno, além de colocar a pedagogia diferenciada em pratica e garantir todos os direitos de aprendizagem. “As mudanças trazidas pela BNCC vêm trazer uma maior expectativa na melhoria do processo de ensino e aprendizagem”, revela a professora Tamna Torquato de Souza Sena.

Imperatriz tem 106 instituições que atendem ao ensino infantil, com mais de 12 mil crianças matriculadas e é responsabilidade do município garantir que seus alunos recebam o ensino de acordo com a Base. Para isso, os docentes participam de formações continuadas que os auxiliam na tarefa. “É obrigação nossa fazer a formações continuadas desse professor”, comenta a coordenadora da educação municipal.

De acordo com Dados do Censo Escolar 2019, o Brasil conta com mais 114 mil escolas, entre públicas e privadas, que ofertam a  educação infantil, e 9,8 milhões de crianças matriculadas.