Parlamentares apontam período tranquilo para governador reeleito e desafios para o novo presidente

Por Gilmar Carvalho Chaves e Edeui de Oliveira Mendes

As eleições 2018 foram um dos assunto também comentados entre os vereadores na Câmara Municipal de Imperatriz. Os parlamentares analisaram o cenário político desenhado pelos eleitores. A pergunta destinada a eles foi a seguinte: qual a avaliação sobre o atual quadro político nacional, incluindo  a reeleição para governador Flávio Dino (PCdoB).

Antes vamos conhecer a atual formação da Câmara Municipal:

Foram ouvidos representantes dos partidos com maior número de vagas na Câmara, PSC e PDT, com três vereadores cada um. As demais 15 cadeiras estão divididas entre PT, PEN, PCdoB, PSB, PMDB, PROS, PHS, PRB, PP, Rede, SD e PSDB. As sessões ocorrem nas terças, quartas e quintas-feiras pela manhã.

Em nível estadual, o vereador Fábio Henandez (PSC) acredita que o  governador reeleito Flávio Dino não terá dificuldades na Assembleia Legislativa, pois boa parte dos candidatos eleitos estavam na coligação coordenada pelo atual chefe do Executivo estadual. “Na Assembleia Legislativa, o governador elegeu mais da metade, ele está com a ‘bola toda’”, analisa Fábio, que não integra o grupo político que apoiou Flávio. O governador estava à frente da Coligação Todos Pelo Maranhão, que reuniu 15 legendas: PCdoB, PDT, PP, PPS, PROS, PSB, PT, PTB, PR, PRB, DEM, PEN, PTC, Solidariedade e PPL.

Fábio Henandez (PSC):  corrupção fez PT perder

Quanto ao quadro nacional, os vereadores apontam que a instabilidade política pode continuar. O vereador Fábio Henandez (PSC) não apostava na eleição de vitória de Haddad, pois o o PT se envolveu em muitos casos de corrupção. “Isso ficou claro em várias operações deles ao longo dos tempos: mensalão, petróleo, petrodólar e lavagem de dinheiro, além do financiamento de programas sociais, que vieram para enganar a população. Fizeram uma lavagem de dinheiro escondida”.

Apesar de se considerar “otimista”, o vereador Antônio Silva Pimentel (PDT) vê um cenário político “desesperador” para os próximos meses. “Acho que não melhorará quase nada. O povo votou Bolsonaro, não é porque ele é bom, mas sim por causa desses 14 anos de PT no poder e agora PMDB e não melhorou nada e o povo quer mudança, principalmente na área de saúde, segurança e infraestrutura”, esclarece indignado com atual momento político do país.

Antônio Pimentel (PDT): país mudará pouco

 

 Tribuna livre

Com um importante papel na cidade, a Câmara Municipal representa o Poder Legislativo, que é um órgão público onde atuam os vereadores e vereadoras eleitos pelo povo. Os parlamentares têm como funções principais elaborar as leis, fiscalizar os trabalhos da Prefeitura e sugerir ações e melhorias em Imperatriz.

O dever desse órgão, segundo o presidente do legislativo, José Carlos (PV), é aprovar ou não as leis que regulamentam a vida da sociedade imperatrizense. Ele comenta mais sobre as atribuições da câmara:

 

O presidente enfatiza que a Câmara tem um espaço chamado “Tribuna Livre”, para debater os mais variados temas. Para participar das audiências, as pessoas solicitam o tema para a “Tribuna Popular” ou para sessão de audiência pública, espaços que também contam com a participação da sociedade.

Mais informações sobre a Câmara Municipal de Imperatriz:

http://www.camaraimperatriz.ma.gov.br/

 

* Reportagem produzida para a disciplina Jornalismo Político, do Curso de Jornalismo (UFMA Imperatriz). Fotos: Gilmar Carvalho Chaves e Edeui de Oliveira Mendes