O policial militar do Distrito Federal Rodrigo Jardim, está sendo investigado após divulgar em redes sociais fotos com os companheiros de farda alegando que iria “brincar com os comunas” durante os protestos de universitários e professores contra o corte de verbas feitos pelo Governo Federal nas Universidades e Institutos Federais. Na postagem os PMS estavam fardados, dentro do ônibus da corporação e Jardim fez referência ao 13º Batalhão de Polícia Militar do DF.

Alguns internautas elogiam o processo de investigação. E comentam que os policiais estão fadados a esta postura de violência. Mas há aqueles que apoiam a atitude dos PMS e mencionam que as universidades públicas causam indignação.

Apesar das atitudes tomadas pelos órgãos públicos, em investigar e afirmar serem contrários ao posicionamento de alguns profissionais, as pessoas comentam que os atos não são suficientes para inibir as ações opressivas dos policias, e que as investigações não deveriam ser internas, mas que todo processo de julgamento e avaliação tem de ser público.

Mesmo com o comportamento que expressa desrespeito aos manifestantes, os comentários revelam posicionamentos dos mais variados. E alguns caracterizam a atitude do policial como um marco a ser realizado na paralização.

Outros, usam palavras mais exacerbadas como alegar que alguns policiais são chamados de “vermes”, e que a conduta do policial Jardim comprova as ponderações.

A apuração para o processo de investigação a respeito do posicionamento do PM foi pedida pela 3ª Procuradoria de Justiça Militar do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), um ofício foi encaminhado pedindo a abertura de averiguação ao corregedor-geral da corporação, o coronel William Delano Marques.