“O retorno das aulas ocorrerá no dia 17 de março”, informa o secretário municipal de Educação, José Antônio Silva Pereira, sobre as aulas presenciais

Em 2020, o advogado José Antônio Silva Pereira, 53 anos, assumiu a Secretaria Municipal de Educação, Semed, em Imperatriz-MA. Um dos esforços da gestão dele foi a atualização do sistema de inserção dos alunos nas escolas públicas, dando continuidade ao processo de implementação da matrícula on-line, permitindo que as famílias realizassem matrículas e rematrículas pela internet, encerrando com as longas filas nas portas das escolas.

Outro desafio durante a pandemia foi a reorganização do calendário letivo, quando foram oferecidas aos 45 mil alunos do Ensino Fundamental e Educação Infantil as aulas não presenciais, por meio de plataforma digital e aplicativo de mensagens. Sobre as dificuldades dos alunos das redes municipais que não têm acesso à internet em casa, o Secretário de Educação reforça que também foram criadas alternativas. “As escolas oferecem as atividades impressas e todo o acompanhamento necessário”, esclarece.

José Antônio Silva Pereira é graduado em direito pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA e pós-graduado em Direito Processual Civil pela Universidade Veiga de Almeida, do Rio de Janeiro. Acompanhe a entrevista com o secretário  na íntegra:

Há planos da Semed para o ano letivo de 2021, de forma presencial, nas escolas de rede municipal?

José Antônio Silva Pereira: A Secretaria Municipal de Educação está preparada para retorno das atividades letivas em 2021, conforme calendário letivo já divulgado para a comunidade escolar.  Todas as medidas de prevenção à Covid-19 também foram pensadas e providenciadas, como aquisição de máscaras e álcool em gel que será disponibilizado a alunos e professores. Orientações a respeito das medidas de prevenção e distanciamento em ambiente escolar também farão parte da rotina. No entanto, o retorno efetivo será realizado conforme as liberações dos órgãos de saúde ou da chegada da vacina, tendo em vista que o vírus continua circulando e que não estamos livres da pandemia. Temos um quantitativo de 45 mil alunos e quase 4 mil servidores em âmbito escolar que precisam da nossa proteção e condições de trabalho para darmos continuidade ao processo de ensino-aprendizagem.

Como estão ocorrendo as aulas on-line nas redes municipais?

José Antônio Silva Pereira: A Semed adquiriu uma plataforma digital para continuidade ao ano letivo a partir de aulas não presenciais. Trata-se de uma ferramenta em que professores podem inserir atividades, vídeos, fóruns, enfim, mecanismos para que o aluno mantenha uma rotins pedagógica em meio digital. É um ambiente ofertado a alunos do Ensino Fundamental de 1º a 9º anos.

Para alunos da Educação Infantil, a Semed investiu em atividades via semanários com auxílio de aplicativo de mensagens (WhatsApp). São propostas atividades lúdicas, vídeos e atividades no material didático, com auxílio das famílias.

Quanto aos estudantes sem acesso à internet, as escolas oferecem as atividades impressas e todo o acompanhamento necessário.

Explique a mobilização que aconteceu em novembro, realizada pela Semed, com o tema “Aluno fora da escola, não pode”.

José Antônio Silva Pereira: Tratou-se de uma mobilização indicada pelo Unicef para busca ativa dos alunos fora da sala de aula. A Semed realizou uma grande ação para chamar a atenção das famílias a respeito da infrequência dos alunos na plataforma, pois houve uma queda nos acessos. Isso corresponde que o estudante está deixando de participar com regularidade das aulas presenciais.

O objetivo foi informar que as unidades de ensino estão cumprindo as atribuições letivas, mas que precisa do apoio das famílias para que os estudantes mantenham-se frequentes com suas obrigações escolares com a supervisão dos pais.

Quais medidas a Semed está tendo para que não haja desistência dos alunos?

José Antônio Silva Pereira: Além da mobilização, a Semed realiza um trabalho rotineiro de busca ativa dos casos mais graves de infrequência do aluno, com visita domiciliar e contato com as famílias. Esgotadas todas as possibilidades de tratativa dessas ocorrências, os casos são encaminhados ao conselho tutelar para as medidas cabíveis. O importante é entender os motivos da possível desistência do aluno e garantir que este mantenha-se na escola.

Quando começa o ano letivo de 2021?

José Antônio Silva Pereira: O ano letivo de 2021 terá início no dia 16 de março com a formação pedagógica dos professores. O retorno das aulas ocorrerá no dia 17 de março.

Como serão as matrículas dos alunos para o ano letivo de 2021?

José Antônio Silva Pereira: Agora mais do que nunca, com as recomendações de distanciamento e evitar aglomerações, seguiremos o formato digital e, assim como em 2020, as matrículas serão on-line.

Os professores estão recebendo formação para as aulas on-line?

José Antônio Silva Pereira: A Semed sempre manteve as equipes técnicas para as devidas orientações e apoio pedagógico. Com a plataforma não seria diferente. Além das formações pedagógicas, orientações sobre o uso da tecnologia, temos uma equipe de suporte que é o Geduc, especialmente para visitação nas instituições, orientações individuais e todo o suporte necessário para esclarecimentos e uso adequado da plataforma a fim de que esse momento seja vivenciado da melhor forma possível.

Quais as ações direcionadas às famílias para que ajudem o estudante em casa?

José Antônio Silva Pereira: As famílias tem o apoio do corpo diretivo e docente da escola a qual o filho estuda. Com a parceria entre escola e família é que tornamos possível aulas para Educação Infantil e Ensino Fundamental de forma não presencial.

E quais serão as medidas preventivas ao coronavírus se as aulas voltarem presencial no ano letivo de 2021?

José Antônio Silva Pereira: Além de orientações corriqueiras a respeito das medidas de higiene dentro e fora de sala de aula, foi determinado pelo prefeito Assis Ramos a aquisição de máscaras e álcool em gel para uso diário dos alunos. Claro que, a limpeza dos ambientes escolares terá uma atenção redobrada e teremos que contar com a colaboração de toda a comunidade escolar para que não haja contaminação nas escolas.

 

*Atividade realizada para a disciplina Técnicas de Reportagem (2020.1), do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz.

*Foto: Assessoria de comunicação/Semed

 

 

 

 

Crédito da foto: Sara Ribeiro

Leia Também