Moradores em situação de rua de Imperatriz recebem refeição nas noites de sextas-feiras

Imperatriz, 29 Outubro 2021- Todos os dias João dorme em um lugar diferente,  isso porque ele  vive em situação de rua há quase cinco anos, depois de se afastar da família que é toda de Açailândia, cidade localizada a cerca 67 km de Imperatriz-MA. Ele conta que vagar pelas ruas foi o destino escolhido depois que se desvinculou da família, principalmente depois do falecimento dos pais, por consequência, tornou-se dependente do álcool.

João conta com timidez que um dos pontos da cidade aonde mais costuma ir é no bairro Bacuri, às noites de sextas-feiras. É que nesse local, um projeto social da Igreja Marca da Promessa distribui refeições para quem vive em situação de rua.

Coordenado pelo pastor Cleiton Santos, o projeto chamado “Missão Vidas” teve início em 2015, quando a igreja era sediada nesse bairro e as pessoas em situação de rua entravam para assistir os cultos.

Percebendo a necessidade de ajudar os mais vulneráveis, a igreja começou a distribuir jantar todas as sextas-feiras e mesmo com o deslocamento do templo em 2019, a ação social continuou no bairro Bacuri.

Para manter o projeto, os irmãos da igreja fazem doações de alimentos para preparar a alimentação.

O objetivo do projeto é tocar nos corações dessas pessoas para ajudarem a sair dessa situação. Para isso, antes de servir o jantar uma palavra bíblica é ministrada. Uma média de 15 pessoas em situação de rua participam do círculo de oração.

A igreja não oferece abrigos. O voluntário do projeto, Edilson Santos Almeida, ajuda a servir o alimento e relata ter o sonho de abrir uma ONG para oferecer abrigos para que todos tenham onde dormir em segurança.

Abordagem Social

Em Imperatriz, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, tem um serviço especializado em abordagem social, que tem por função apresentar os programas oferecidos pela secretaria, a escuta qualificada e encaminhar para o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, o Centro Pop. A Educadora Social Priscila Cadete, relata que no mês de setembro foram realizadas 70 abordagens na cidade e o objetivo é sensibilizar para saírem dessa situação, “A abordagem social é uma das portas de entrada, porque eles (moradores em situação de rua) podem ir de forma voluntária”.

Leia Também