Repórteres: André da Silva e Sabryna Santiago

Fotos: André da Silva e Sabryna Santiago

 

Dos tantos pesos que o fisiculturista Luiz Fernando Pereira, de 22 anos, está acostumado a levantar, o mais leve e prazeroso são os troféus e medalhas que coleciona. O atleta imperatrizense fez sua estreia em competições em 2016 e não parou por aí,em 2018 se consagrou Top 1 na categoria Clássico Junior no 26° Campeonato Paraense de Fisiculturismo e Fitnesse atualmente é filiado à Federação Internacional de Bodybuilding (IFBB).

O estudante de Educação Física concilia os estudos com o dia a dia na academia. É lá que ele treina e constrói o corpo que vem lhe rendendo tantos prêmios. Supino, puxador, barra em pé, os exercícios são variados, mas a meta é sempre a mesma: evoluir e melhorar fisicamente. E se engana quem pensa que um fisiculturista se constrói apenas com muita malhação, uma boa dieta é crucial no rendimento dos treinos.

O fisiculturismo é o desenvolvimento do volume muscular através da combinação de exercícios e alimentação correta. As competições tem o intuito de reconhecer aquele que tem a melhor formação atlética. Há quem ache feio, assustador ou exagerado, mas a verdade é que a modalidade exige foco e determinação que tornam o reconhecimento ainda mais satisfatório.

Participar desses campeonatos,segundo Luiz Fernando, é algo que exige muita disciplina e comprometimento,além de um equilíbrio entre o seu corpo e mente. “Embora seja bastante desgastante é muito satisfatório, meu sonho é ser reconhecido tanto no cenário do esporte como na minha formação acadêmica”.

O atleta disputou em outubro de 2019 a Open Copa do Maranhão de Fisiculturismo, aqui em Imperatriz, ficando com a segunda colocação na categoria Clássico Júnior e Clássico Adulto. Ele conta mais sobre o esporte, seus hábitos e o incentivo da sua esposa na entrevista a seguir.

 

Imperatriz Notícias: Como foi o seu início no fisiculturismo? Tem idade pra começar?

Luiz Fernando Pereira Lima: Não tem idade pra começar. Meu início foi quando me mudei de Balsas pra cá, para Imperatriz, eu comecei a estudar Educação Física e isso despertou um interesse. Já treinava antes de vir para a cidade, mas não levava tão a sério e foi aqui que eu comecei a focar mais,porque tinhamalguns atletas na região e convivendo com essa realidade isso me influenciou um pouco e então iniciei, em 2016.

IN: Qual sua opinião quanto ao incentivo a esse esporte em Imperatriz?

LFP:Hoje está crescendo bastante a prática do esporte na cidade, mas antes era pouco visto até mesmo no Estado, têm ocorrido campeonatos aqui com mais frequência e o número de atletas participando é maior.

IN: O que lhe fez escolher o Fisiculturismo?

LFP: Em Balsas minha mãe tinha uma academia, lá eu já treinava e assistia vídeos dos atletas treinando e sempre fui muito magro. Então eu comecei a treinar visando aumentar de tamanho e assim que cheguei aqui e tive esse contato com os atletas da cidade eu me interessei mais pelo esporte, mas sempre tive essa vontade de competir.

IN: Então a maioria das coisas é por sua conta, como é o apoio da sua família?hum

LFP: Quando cheguei em Imperatriz tinha 17 anos e aqui meu apoio sempre foi minha esposa Ellen Cristina Alves, minha família de inicio até o dia da minha primeira competição não me apoiava muito, mas como eu sai de casa muito cedo adquiri uma liberdade grande pra decidir. Minha esposa é quem me ajuda em tudo, aguenta os estresses, me motiva (risos).

IN: Como é a preparação pra um campeonato?

“eralmente a gente abre as exceções pra se divertir uma vez ou outra, mas a preparação tem que ser o ano todo”

LFP: Geralmente a gente abre as exceções pra se divertir uma vez ou outra, mas a preparação tem que ser o ano todo porque normalmente temos um período de offcismo que é uma fase que se come mais para poder treinar mais e ganhar uma maior quantidade de massa e tem uma fase de pré-contest que é pré-competição que lapidamos o físico para poder subir no palco com aquele condicionamento então esse processo inteiro vai o ano todo, 24 horas, sete dias por semana.

IN: A maioria das pessoas quando veem os atletas de fisiculturismo, com uma estrutura corporal de grande volume acreditam que pra chegar nesse pontosó usando anabolizante. Qual a sua opinião sobre isso?

LFP: Todo esporte de alto rendimento geralmente tem o uso de esteroide anabolizante. O que acontece é que no fisiculturismo o que é realçado é o tamanho do atleta, por esse tamanho as pessoas já associam ao uso de anabolizantes, assim como outros esportes. No fisiculturismo como o nome já fala é o físico nós temos que ser grandes e secos, os anabolizantes realçam isso.

IN:Na alimentação quais cuidados que o atleta deve ter?podia ser mais criativo, o que vc come ou o que nunca mais comeu.. o que tem vontade

LFP: A alimentação de cada atleta varia muito do condicionamento de cada um, não só de atleta, mas de todo mundo que faz dieta cada um tem uma especifica. Para o fisiculturista na fase off  nos temos uma liberdade maior para comer, mas na fase antes da competição que temos que perder toda a gordura e ficar em um condicionamento muito extremo geralmente a dieta é bem mais restrita, você não pode errar na quantidade, até os temperos tem que controlar, a água também.

IN: Já que a alimentação é crucial, qual o papel da suplementação?hum

LFP: O papel da suplementação está ligada ao complemento da dieta, eu não uso muita coisa, normalmente é o multivitamínico, ômega 3 e whey porque são as vitaminas e minerais que eu não consigo tirar da dieta então é importante suplementar para está complementando essa falta.

IN: Qual a principal dica ou conselho que você daria para quem está começando ou tem vontade de entrar no esporte?

LFP: Eu acredito que se você quer começar é importante ter alguém bem capacitado pra auxiliar e direcionar no caminho certo, tanto no treino quanto na dieta, porque é um esporte muito desgastante e envolve saúde então ter um auxílio de qualidade por trás é importante.