Repórter: Wallisson Santos

Cerca de 50 guardas municipais, aprovados em concurso no final de 2018, vão reforçar a segurança dos cidadãos a partir do segundo semestre de 2019, preservando instalações e bens públicos de Imperatriz. Conforme a Prefeitura, inicialmente, com 50 guardas, e, em outro momento, a critério da administração, com mais 50 servidores, a cidade vai contar com um efetivo de 100 agentes para fazer um trabalho de prevenção e repreensão ao crime, consoante a Polícia Militar e a Polícia Civil.

De acordo com a Prefeitura, a segurança pública de Imperatriz contava apenas com o apoio da Polícia Militar que atua em Imperatriz desde 1977. Agora, a cidade segue os passos de outros municípios maranhenses que vem implantando guardas municipais em seus territórios, como Coroatá, Timon, Rosário, Balsas e a capital São Luís, cuja a Guarda Municipal completa 30 anos esse ano, sendo a mais antiga no Maranhão.

Segundo o comandante da Guarda Municipal de Imperatriz (GMI), José Ribeiro de Oliveira, esse órgão visa proteger o maior patrimônio do município “a população”, e tratar com igualdade e cortesia a todos servindo e cuidando do povo imperatrizense. “A sociedade deve esperar uma instituição municipal para protegê-la, ela tem uma vantagem porque o prefeito está próximo, para acompanhar todas as suas ações, para ouvir as suas sugestões e reclamações, o imediatismo das suas ações vão permitir alcançar resultados mais ágeis e mais eficientes, bem como as correções de eventuais desvios de condutas”, destaca.

Comandante da Guarda Municipal de Imperatriz, José Ribeiro de Oliveira

O processo que precisa ser percorrido até a GMI poder se estruturar na cidade e se tornar uma instituição de referência é longo. No total são seis etapas até a atuação efetiva da guarda: prova objetiva, exames médicos, teste de aptidão física, investigação social, avaliação psicológica e curso de formação, todos de caráter classificatório e eliminatório. Nessa última etapa, o curso de formação, que se iniciou dia 15 de abril, terá a duração de dois meses e será ministrado pela fundação Sousândrade. Ao final do curso, os alunos serão nomeados e começarão a atuar na cidade em harmonia com a Polícia Militar, Polícia Civil, Corpos de Bombeiros e demais órgãos de defesa civil, ajudando nos diversos setores da cidade.

Quem trabalha nas ruas está na expectativa de ter mais policiamento. É o caso do vendedor ambulante Antônio de Oliveira, 48 anos. “Pra mim, que estou sempre nas ruas vendendo sorvete e andando nos lugares, eu vejo falta de segurança em algumas ruas, dessa forma quanto mais segurança é melhor”, relata.

Para o universitário José Izak, 25 anos, investir em segurança se faz cada vez mais necessário e que a instalação da Guarda Municipal vai beneficiar mais bairros da cidade.“Com a chegada da guarda eu espero que todos os bairros sejam atendidos igualmente, para que venham a zelar da segurança de todos os moradores”, diz Izak.

 

A Guarda vem para somar

A GMI vai agir segundo a lei determina, apoiando as Policias Militares que patrulham a cidade e combatem o crime, o que não torna diferente o trabalho da guarda municipal que trabalha para proteger o cidadão e evitara atuação de criminosos e se precisar ser mobilizada enfrenta o que for necessário.

“Nós temos uma formação dos guardas totalmente diferentes das polícias, o guarda precisa ter de início quase 700 horas de aula como nenhum outro curso exige isso, com todos os conteúdos nas áreas dos direitos, com um perfil que leve a esses indivíduos com noções elementares do conhecimento necessário que ele precisa ter para exercer a sua função”, destaca o comandante da GMI.

Surgimento da Guarda

A Guarda Municipal é o órgão de segurança pública criado pelos municípios, permitido pela carta magna,sendo formada antes de todas as polícias existentes no país. Em 9 de junho de 1775, surgiu o Regimento de Cavalarias Regular da Capitania de Minas Gerais, ao qual pertencia Tiradentes, sendo nomeado comandante, formando a primeira instituição da Guarda e, logo em seguida,com a vinda da família real ao Brasil em 13 de maio de 1809, foi então chamadade Guarda Real de Polícia.

O órgão foi se tornando cada vez mais importante para a sociedade,recebendo o dia 10 de outubro para comemoração da guarda municipal em todo o Brasil.Ao longo do tempo sofreu grandes transformações para aperfeiçoamento do trabalho realizado, além da modernização dos equipamentos. Como é o caso da Guarda Municipal de Petrolina – PE que é referência nacional no combate à criminalidade e no uso de tecnologias na prevenção de crimes, não sendo necessária a atuação das forças estaduais na cidade pelo controle que a guarda tem sobre a mesma.