Tudo o que você deve saber sobre o trem de passageiros da Estrada de Ferro Carajás  

Repórter: Williana Costa

Fotos: Williana Costa

 

Em março deste ano, o trem de passageiros da Vale completou 35 anos de atividade na Estrada de Ferro Carajás (EFC), que possui 892 quilômetros de extensão e transporta mais de 350 mil passageiros por ano entre os estados do Pará e Maranhão. Tendo como principais pontos de embarque as cidades de Parauapebas, Marabá, Açailândia, Santa Inês e São Luís.

O trem de passageiros oferece ar-condicionado, poltronas acolchoadas, Tv com a opção de ouvir a programação que é transmitida através de fone de ouvido que pode ser inserido no “braço do assento” e serviço de restaurante a bordo para ambas as classes (econômica e executiva) e os vagões são importados da Romênia.

Com a chegada da pandemia no Brasil, a empresa teve que se adaptar à nova realidade para fazer com que seus clientes e colaboradores sintam-se seguros e protegidos em relação ao contágio da doença que tem feito milhares de vítimas no país.

E nesse sentido, a mineradora, detentora da concessão da ferrovia EFC, tem adotado as medidas necessárias, seguindo protocolos e orientações para proporcionar uma viagem segura aos usuários do trem de passageiros, como explica Franklin Torres, analista de comunicação sênior da Vale:

 

Imperatriz Notícias: Franklin, quais trechos compreendem a Estrada de Ferro Carajás?

Franklin Torres O trem de passageiros funciona em escala intermitente entre Parauapebas (PA) e São Luís (MA). São cerca de 16 horas de viagem, com um total de 15 paradas durante o percurso. Sendo 04 em estações e 10 nos pontos de apoio. Ao longo do trajeto, ele passa por 24 municípios maranhenses e 03 no estado do Pará.

O trem de passageiros funciona em escala intermitente entre Parauapebas (PA) e São Luís (MA). São cerca de 16 horas de viagem

IN: Soube-se que houve redução da quantidade de vagões no trem de passageiros. Quais foram eles e por quê?

FT: Na verdade, o que ocorreu foi a desativação do vagão social e do carro restaurante por conta da pandemia, uma vez que o fluxo de pessoas nessas áreas era constante, assim evitamos aglomeração.

 IN: No embarque, há algum protocolo adotado para que o passageiro possa seguir viagem?

FT: Todos os passageiros devem respeitar a regra de distanciamento social e uso de máscara durante período de permanência na estação e dentro do trem.

Além disso, são aferidas as temperaturas de cada colaborador e passageiro. Se esta estiver acima de 37,8º o embarque será indeferido. O procedimento também é adotado em ambos no quando estiverem no interior da composição.

 

IN: Quais medidas vêm sendo adotadas para a segurança dos passageiros durante a viagem?

FT: Todas as medidas seguem as orientações dos protocolos de saúde determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e pelo governo do Estado. Dentre elas estão a redução da quantidade de passageiros, a disponibilização de álcool gel em todos os carros (vagões) do trem, a disponibilização da compra de bilhete pela internet e com a desativação do carro restaurante, o passageiro faz o pedido e a refeição é servida diretamente em sua poltrona.

 IN: Houve reajuste no preço das passagens?

FT: Não houve alteração. Os valores permanecem os mesmos, pois entendemos que o momento em que vive o país é onde devemos mostrar compreensão para com os usuários do trem de passageiros. A passagem custa R$ 54,00 na classe econômica, R$ 95,00 na classe executiva, portadores de deficiência com carteirinha possuem gratuidade e crianças de 06 a 12 anos pagam metade do valor. Vale lembrar que a aquisição do bilhete deve ser feita com 15 dias de antecedência da viagem.

 IN: Qual é a capacidade do trem de passageiros e como se dá o trabalho de desinfecção do mesmo após as viagens?

FT: Ele dispõe 1300 assentos, com 39 carros climatizados, sendo 06 executivos, com capacidade para 60 passageiros e 21 econômicos, que comportam 79 lugares. Porém, está funcionando com apenas 50% deste total. Quanto a desinfecção, esta é realizada de forma total no final do trajeto que dura aproximadamente 15 horas. E no decorrer a viagem faz-se a limpeza e desinfecção dos vagões de hora em hora.

Passar mal não, mas sentir os sintomas da doença durante o trajeto sim. O trem de passageiros possui profissionais capacitados para lidar e proceder da melhor forma possível

IN: Já ocorreu de algum passageiro passar mal na viagem com sintomas da Covid-19? Quais as tratativas?

FT: Passar mal não, mas sentir os sintomas da doença durante o trajeto sim. O trem de passageiros possui profissionais capacitados para lidar e proceder da melhor forma possível.

 IN: Quais são as expectativas da Vale em relação a circulação do trem de passageiros em 2021?

FT: Estamos mantendo todos os esforços, dando continuidade ao serviço e aguardamos a redução dos indicadores da pandemia para reativar a composição como um todo.

IN: Quanto às cores do trem de passageiros, que se encontra com as cores do arco-íris, tem algum motivo especial, já que as cores padrão da empresa são o verde e amarelo?

FT: Somos uma empresa que além de respeitar, promovemos a diversidade, inclusão, igualdade social, étnica e de gênero. Somos multicultural. Sempre que há uma data marcante ou evento, os colaboradores têm a liberdade de expressar seus sentimentos de muitas formas, dentre elas pintar a locomotiva com as cores que representem determinado movimento. Quando chega o Outubro Rosa, ela é pintada de rosa, para manifestar apoio ao movimento LGBTQIA+, colorimos com as cores que o representam, e assim por diante.

Leia Também