Raízes do empreendedorismo: mãe de três filhos transforma hobby em renda

Repórteres: Aylla Yohana, Marcos Vinicius Prohmann e Sara Bandeira

Cuidar de plantas sempre foi um passa-tempo divertido para Sonia dos Reis, de 45 anos. No entanto, devido à pandemia, o que antes era apenas um hobby virou a sua única fonte de renda. “Eu comecei a vender plantas por conta da pandemia e estou me sentindo bem. É com isso que eu consigo sustentar minha família”, reforça.

Sonia é mãe de três filhos e, juntamente com seu marido, João Alves, comercializa plantas na Praça de Fátima às quartas-feiras e aos sábados, no centro do local. Ela conta com uma tenda, estrutura que traz de Davinópolis, a cidade em que reside atualmente, com a ajuda de um funcionário terceirizado.

O interesse por plantas não é algo novo em sua família. “Eu tenho bastante plantas onde moro e sempre gostei de cuidar delas, mas a pandemia me fez gostar mais ainda pela questão de ficar mais tempo em casa”, acrescenta. Inicialmente, as vendas eram feitas apenas no quintal de sua residência, mas, agora, além de continuar o negócio neste ambiente, ela decidiu expandir suas vendas para Imperatriz.

O Viveiro no Quintal, nome dado ao espaço caseiro reservado para o cuidado e comércio da vegetação, trabalha, especialmente, com plantas frutíferas e ornamentais. “A Rosa do Deserto é a espécie que mais sai, já que tem preferência por lugares ensolarados, com pouca demanda por água, como é o caso de Imperatriz”, afirma a vendedora.

Além de disponibilizar as plantas na praça e em sua casa, o empreendimento conta com um perfil no Instagram (@viveironoquintal) e também atende via WhatsApp, no número (99) 99168-7937.

Mercado autônomo

Cerca de 24 milhões de brasileiros estão atuando por conta própria no Brasil,  esse número é recorde histórico no país, desde o começo da contagem em 2012, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Leia Também