Jornal On-line do curso de Jornalismo da UFMA de Imperatriz

Pandemia faz procura por atendimento psicológico crescer 30% em Imperatriz

 

 Texto de Ane Sandes e Jéssica Lima

 

Desde o decreto da pandemia da Covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, muitas mudanças geraram adoecimento mental. Neste período de isolamento social, os casos de depressão aumentaram 90% e pessoas com crise de ansiedade e estresse também cresceram significativamente, segundo  um estudo realizado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e publicado pela revista The Lancet. Em Imperatriz, a procura por atendimento na área de saúde mental registrou o aumento de aproximadamente 30% em maio de 2020, e seguiu avançando gradativamente durante esses meses na pandemia. Casos como ansiedade e insônia estão entre os mais relatados pela Rede de Saúde Mental da cidade.

Profissional da saúde explica que no início pacientes não queriam atendimento online

Diante da necessidade de distanciamento social, alguns psicólogos passaram a oferecer atendimentos online. A psicóloga Iranny Marinho, de 27 anos, diz que no início os pacientes ficaram resistentes ao atendimento à distância, mas depois aceitaram. Assim, com o passar dos primeiros meses houve um crescimento nos casos de pessoas com transtornos psicológicos, trazendo o aumento na procura por ajuda psicológica. “A procura por atendimento psicológico aumentou tanto presencialmente quanto online, e tem se intensificado mais a cada mês”, conta Iranny.

A chegada da pandemia acarretou uma nova e difícil realidade, onde a população se viu afetada de diferentes maneiras, assim como a falta de contato social, algo considerado importante para a saúde, já não poderia ser possível. O fechamento das escolas, mudanças de método de trabalho e diversão, impulsionaram para que parte da população brasileira apresentasse sintomas psíquicos e de transtornos mentais.

O auxiliar administrativo, Pablo de Paula Souza, 19 anos, descreve que precisou retornar para consultas psicológicas por conta do distanciamento social. “Eu estava com problemas de ansiedade e depressão. Ansiedade por conta dos estudos que a pandemia empatou, e depressão porque eu estava ganhando muito peso por estar só em casa”, diz.

A psicóloga Iranny conta que a relação entre doença e saúde está muito vinculado ao bem estar da pessoa, por isso, é importante adotar alguns hábitos saudáveis para o dia a dia de quem está em isolamento. “A pandemia trouxe muitas demandas associadas aos sintomas ansiosos e havia uma relação estreita entre o isolamento social, a insegurança e os sintomas ansiosos”, pontuou.

O acompanhamento psicológico teve grande importância durante esse período, possibilitando acolhimento para muitas pessoas enfrentarem os impactos causados pelo isolamento. “Me ajudou bastante. Eu senti que comecei a ter uma resolução melhor da minha vida ali”, conta Souza.

Em imperatriz, é possível conseguir acompanhamento psicológico gratuito nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) especializados em saúde mental, com uma equipe de profissionais capacitados para o atendimento individual e em grupo; oficinas terapêuticas; visita domiciliar; atendimento à família; atividades comunitárias; acolhimento diurno e noturno.

You might also like