“Os vereadores são eleitos para prestar serviço à população”, explica Carlos Alberto Claudino sobre ações da Câmara Municipal

Por Luan da Silva Sousa e Natália Paulo da Silva

A Câmara Municipal de Imperatriz tem um papel importante para a população no setor legislativo e fiscalizador dos serviços públicos em cada município. Entender a competência do poder legislativo está relacionado a atender as necessidades da população. O cientista social Carlos Alberto Claudino Silva (foto) explica que as competências desse poder são basicamente essas: criar lei e fiscalizar o executivo. No entanto, isso acaba não sendo cumprindo, pois os vereadores querem prestar mais assistência as áreas mazeladas do município com intuito de buscar destaque, o que torna o serviço da câmara falho no que diz as responsabilidades dela.

Formando Ciências Sociais pela Universidade Federal do Maranhão, o professor é o responsável pela disciplina Teoria Política na mesma instituição, desde dezembro de 2006, no Curso de Jornalismo do campus Imperatriz. Mestre em Políticas Públicas, Claudino enfatiza que “os vereadores são eleitos para prestar serviço à população” para que o serviço do legislativo seja mais efetivo e com mais representatividade.

Claudino Silva acredita que com um trabalho mais intenso de produção de leis que atenda às demandas sociais e uma fiscalização mais efetiva das contas da Prefeitura fariam com que a Câmara cumprisse sua função.

Qual o papel da Câmara Municipal para a população imperatrizense?

Claudino Silva: Quando se pensa em Câmara Municipal, se pensa em poder legislativo em nível de munícipio, então, a princípio, a competência desse poder serve para a produção de leis que atendam às necessidades e anseios da população local e serve também como instrumento fiscalizador das ações dos outros poderes, pois os poderes, de certa forma, se fiscalizam.

Como a câmara seria mais efetiva e teria mais representatividade na cidade?

Claudino Silva: Precisaria ter um trabalho mais intenso de legislação, na produção de leis que atendam às necessidades da população e fiscalizar mais o poder executivo, dando mais informação para o público, procurando saber para onde está indo o dinheiro público e como está sendo gasto, assim ela estaria cumprindo com sua função e ganhando mais representatividade no município

Quais partidos estão predominando dentro da câmara? Quais os impactos disso para Imperatriz?

Claudino Silva: Não vejo a predominância de nenhum partido, o ideal seria pesar nos blocos. O bloco de centro, que aparece no contexto nacional e que define muitas políticas para o Brasil inteiro, elegeu basicamente metade ou mais da Câmara Municipal, já os partidos da esquerda conseguiram eleger cinco a sete no máximo, que seriam os partidos mais populares.

Agora os impactos disso para Imperatriz vai depender da forma de atuação deles, como será feito essa aliança entre cada partido e como serão as relações com a prefeitura, só a partir disso poderemos ver algum impacto na cidade.

Qual a relação da câmara com outros órgãos públicos municipais?

Claudino Silva: Isso vai depender da gestão da câmara, mas, a princípio, o que se espera é uma relação boa, de cordialidade e de defesa do interesse público.

De que forma a população pode acompanhar o trabalho feito pela câmara?

Claudino Silva: Ela pode acompanhar através dos vereadores, pois eles são eleitos para prestarem serviços à população e precisam prestar contas disso, seja através de jornais, programas ou voltando nas bases eleitorais para conversar. Mais do que isso, a população tem a responsabilidade de acompanhar, porque ela é quem elege, então é preciso que a população acompanhe e cobre as informações dos vereadores.

*Atividade da disciplina Técnicas de Reportagem do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz.

*Foto: acervo pessoal

Leia Também