Falta de pessoal e dificuldades fazem idosos aglomerar em filas de bancos

Pauteiros: Daiane Conceição e Dayana Batista

Repórteres: Alisson Coelho, Daianny Assunção, Bárbara Gomes, Sannyel Motta ( Antonio Sanyel no Sigaa)

Imagem: Sannyel Motta

Idosos aglomeram e se submetem a enormes filas de bancos na cidade de Imperatriz e região, por necessitarem retirar a aposentadoria e realizar outras operações bancárias. Os motivos para as filas enormes são muitos e vão desde poucos funcionários para auxiliar esses idosos, a insuficiência de caixas eletrônicos disponíveis e até a falta da fila preferencial. Essa situação sempre ocorreu, porém, durante a pandemia do Covid-19 o problema ficou ainda pior por representar um risco à saúde das pessoas na terceira idade.

A Caixa lotérica de Davinópolis, cidade que fica à 14 quilômetros de Imperatriz, apresenta um grande fluxo de pessoas e muitas dessas são idosos que precisam ir até o local para realizar pagamentos ou retirar dinheiro. Segundo esses idosos, a maior dificuldade deles é a ausência da fila preferencial. Essa situação gera muitas reclamações por parte dos clientes. Para os idosos serem atendidos mais rápido, eles precisam passar na frente de outras pessoas que já estavam na fila, assim fazendo com que a espera seja maior para essas pessoas que aguardavam sua vez chegar.

Idosos tem enfrentado filas em agências de todo o Estado

Sulerinda mendes de 55 anos diz que fica constrangida: “Às vezes eu nem passo na frente, porque as pessoas acham ruim. Prefiro ficar esperando na fila. Às vezes fico quase uma hora, no meio da aglomeração”. Relata.

Ela não é a única, outra aposentada, Maria de Jesus Rodrigues de 60 anos, disse que sente muitas dores e que não pode esperar tanto tempo por atendimento. “ Sinto muitas dores, vivo no hospital, não posso ficar tanto tempo na fila, o único jeito é passar na frente”. Justificou a idosa.

Uma funcionária da caixa lotérica, que não quis se identificar, afirmou que esse problema sempre ocorreu, e o motivo é causado porque no local só tem duas funcionárias para atender os clientes, apesar disso, ela disse que o estabelecimento não sente a necessidade de contratar novos funcionários.

Já na agência bancária do Bradesco, na cidade de Imperatriz, funcionário Paulo Victor afirmou que as filas de idosos são recorrentes e que também sempre tiveram que lidar com esse problema. Relatou que o fluxo de idosos na agência é maior quando está no dia de ir receber o benefício do INSS, chega a ser mais de 30 por dia. O servidor também afirmou que a agência disponibiliza filas e senhas preferenciais para agilizar o atendimento. Além de funcionários capacitados para orientá-los, principalmente no uso dos caixas eletrônicos, que é onde eles apresentam mais dificuldades. Apesar de tudo, o problema ainda persiste, pois o fluxo no dia de receber o benefício do INSS é muito grande.

Sobre a contratação de novos funcionários para ajudar os idosos, o entrevistado disse que o quadro de funcionários da agência vai de acordo com o porte, “Na agência têm guichês específicos para atendimento, pois se trata de uma agência de pequeno porte”, tenta explicar. Na perspectiva dele, o quadro de funcionários já é suficiente e nos guichês de atendimento os idosos conseguem ajuda para realizar suas transações bancárias. Ao ser entrevistada, a idosa Francisca Soares disse que nessa agência do Bradesco ela espera em média 20 minutos na fila, e que quando tem dificuldades, os funcionários do estabelecimento a ajuda em realizar os procedimentos, como sacar seu dinheiro.

Na agência do Banco do Brasil em Lago da Pedra, interior do Maranhão, o funcionário Lucas Guilherme de Sousa, afirmou que atendem cerca de 50 idosos no dia de receber o aposento. Segundo ele, na agência existem 04 funcionários para auxiliar os idosos que têm dificuldade de receber o benefício. Quanto a existência de uma fila preferencial, Guilherme pontuou que “o banco possui uma fila prioritária para o atendimento, mas, todos os caixas são preferenciais. Os idosos têm direito de chegar em qualquer fila e ir diretamente para a frente, porém a falta de informação e compreensão das pessoas, colaboram a aglomeração das filas.”

Em diversos estados do Brasil existem leis que regulamentam o tempo de espera em filas de banco. No Maranhão a Lei Estadual 7.860/2002, garante a todos os clientes um tempo limite de espera de 30 minutos. Já para os idosos, a Lei Federal 10.048/2000, garante que eles tenham atendimento prioritário.

 

 

Leia Também