Em live Bolsonaro pede para que respeitem que não quer tomar a vacina contra a COVID-19

Em live do dia (09) de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o passaporte vacinal já adotado por alguns estabelecimentos, tanto no Brasil quanto no exterior, esse “passaporte”, além de abranger clientes, também pode solicitar a demissão de funcionário que optam por não tomar o imunizante.

Segundo o presidente, é um direito primordial a escolha e liberdade de cada cidadão brasileiro. Ainda em sua fala, Bolsonaro elogiou a Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE- RO) e maneira como veem conduzindo a questão vacinal e sua atitude pelo projeto de lei que impede a obrigatoriedade da vacina.

Bolsonaro também teceu críticas ao governador João Dória (PSDB) do estado de São Paulo, já que o Dória já está avaliando a possibilidade de um decreto solicitando a demissão de funcionários que recusam a vacina.

“Quem não tomar agora vai ser marginal? Vai ser condenado a quê? ressaltou Bolsonaro revoltado com a situação. Segundo ele, é deve haver um “lobby de vacinas”, mesmo sem provas e fontes. Segundo ele, tem políticos preocupados como a vida do próximo, ou está preocupado com o que não tem como comprovar, com o Lobby das vacinas?

“Respeita quem não quer tomar. Por que essa obrigação? Quem acredita na vacina, parabéns. Nós demos vacina a vocês”, ressaltou ele.

Leia Também