Por Marcos Feitosa Pereira e Iany de Sousa Santos

Laércio Barboza de Castro, que teve sua candidatura suspensa pelo Partido Social Liberal (PSL) à Prefeitura de Imperatriz nas eleições 2020, nasceu no dia 27 de setembro de 1959, na cidade de São Caetano do Sul-SP, no chamado ABC Paulista.  É casado com Edneia Castro há 40 anos, com quem teve três filhos: Thiago, Thim e Thais Castro. Bacharel em Teologia, tem pós graduação em Hermenêutica, Gestão empresarial e é psicanalista em formação. Chegou em Imperatriz em 1997, onde é pastor há 22 anos. Trabalha atualmente na Igreja Batista do bairro Vila Nova.

Trabalhou em vários emissoras de rádios e TV de Imperatriz. Foi apresentador do programa Encontro Marcado da rádio FM 106,9. Foi editor chefe e apresentador do programa jornalístico regional Cidade Alerta da TV Nativa (Rede Record). Em 2007, foi diretor geral de jornalismo da TV Band. Entre abril de 2005 e setembro de 2007, foi diretor de jornalismo e apresentador da TV Difusora Sul. Em novembro de 2000, ingressou como editor chefe e apresentador do telejornal JMTV da TV Globo, onde passou 6 anos.

Sobre as atividades de pastor na igreja evangélica e de jornalista, Laércio ressalta a importância social dessas atividades e as razões que o fizeram seguir para o campo político. “Tenho um desejo em poder ajudar e fazer mais pelo nosso povo, eu admiro a política, mas a politicagem é abominável”, ressalta.

Com 61 anos de idade, Laércio Castro já participou três disputas em eleições na cidade. Em 2004 foi candidato a vereador. Depois foi convidado a compor a chapa de Rosângela Curado, como vice prefeito para as eleições de 2012, ficando em segundo lugar. A dupla obteve 31,83% dos votos, o que equivalente a 39.718 votos.

Candidatura interrompida

Em 2020, o candidato lançou sua candidatura à Prefeitura de Imperatriz, tendo como vice Graça Carvalho, do Partido Trabalhista Cristão (PTC). Mas não pode concorrer até o final, pois seu partido, o PSL, optou por apoiar a candidatura de Assis Ramos, do partido Democratas (DEM). A intervenção no diretório municipal do PSL foi da Executiva Estadual para alinhar os interesses do partido em níveis local, estadual e nacional, conforme o jornalista Coriolano Filho, do jornal O Progresso.

Por sua vez, Laércio Castro disse que “jamais” apoiaria a reeleição do atual prefeito e decidiu ficar ao lado do pastor Daniel Vieira, do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB). “Quando eu entrei para concorrer para prefeito foi acreditando que eu poderia contribuir com a nossa cidade, fazendo um governo justo, transparente e debaixo dos princípios cristãos, mas infelizmente, acordos partidários entre PSL e DEM me tiraram do processo”, afirma Laércio. “Entrei na justiça para reaver o meu direito de ser candidato e o seu direito de votar em mim, mas o sistema é bruto, para não prorrogar o embate jurídico. Resolvemos abrir mão da candidatura e apoiar alguém que se afina com nossos ideais de luta”, explica o ex-candidato sobre a não homologação de seu nome.

Foto: reprodução

*Atividade da disciplina Técnicas de Reportagem, do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz (2020.1).