Benefícios da dança para futuras mamães

Arquivo pessoal de Suzana Rossi
Arquivo pessoal de Suzana Rossi

Repórteres: Andréia Cabral e Larissa Pereira

        Para se livrar do sedentarismo e desenvolver uma gravidez saudável, a  dança passa a ser uma escolha no período gestacional, e auxilia na conexão entre a mãe e o bebê.

        Grávida do seu primeiro filho, a recepcionista Suzana Rossi, 27 anos, encontra na dança uma forma para praticar exercícios físicos. Após seus médicos receitarem movimentos ao corpo, ela começou com a Yoga, porém, ao não se sentir bem, optou pela dança, em que consegue ficar à vontade. As aulas têm duração de 40 minutos, com intervalo entre os dias da semana. Suzana conta que isso  ajuda no desenvolvimento do feto, além de evitar o sedentarismo, que antes da gestação era comum para ela. “ E quando não faço me sinto mais fraca, me sinto indisposta, aí eu já sei que é porque eu não me exercitei no dia anterior”. Além de destacar que os traços de ligação entre ela e bebê aumentaram. “ Sempre que vou fazer determinados exercícios, converso com ele para saber se está acordado”.

 

       Segundo o instrutor de ritmos e fitdance, Daniel Ribeiro, 23 anos, a dança possui benefícios não só físicos, como também psicológicos, e ajuda na qualidade da saúde das pessoas. Ele explica que o ritmo apropriado para as grávidas depende muito de cada corpo, e que precisa ter o diagnóstico do médico sobre a gestante. Se  não tiver nenhuma prescrição médica recomendativa, os ritmos podem ser todos os tipos, desde o balé, funk, forró e o jazz. 

       O instrutor ressalta que ela  deve ser praticada de acordo com as limitações do corpo, e pode ser realizada três vezes na semana, assim a gestante tem seu tempo de descanso entre cada aula. “Não é comum sentir dores, normal sentir cansaço”, reitera. 

 

 

 

 

Leia Também