Agosto concentra mais de 34% das queimadas em Imperatriz

Por Pedro Ítalo


De acordo com o relatório feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em parceria com o Corpo de Bombeiros, apenas no ano de 2023, em Imperatriz, foram registrados 78 casos de incêndios, sendo 27 desses casos apenas no mês de agosto, o que representa cerca de 34,60% apenas neste mês. Segundo o subcomandante do 3° Batalhão de Bombeiros Militar, major Gonçalves Dias, eles têm enfrentado cerca de  uma média de pelo menos três chamadas diárias para combater incêndios em vegetação neste mês de agosto. 


“Muitas vezes, essas ocorrências que a gente recebe ocorrem simultaneamente, o que torna o nosso trabalho de combate ainda mais difícil. Na cidade já houve quase 80 focos de incêndio esse ano”. 


Segundo o major, a maioria desses incêndios são causados pela prática de limpeza de terrenos, no qual o dono dessa terras para se livrar do mato acabando colocando fogo na vegetação. Prática essa, que é considerada crime, podendo resultar em pena de três a seis anos de prisão.


Com a chegada do verão o tempo e o ar começam a ficar secos o que proporciona o modo ideal para o crescimento de queimadas e de focos de incêndio.


Questão de saúde


Além da destruição da flora da cidade, uma grande prerrogativa que as queimadas podem causar são os problemas de saúde para a população, como é o caso da moradora do bairro Cidade Jardim, Rosana Pereira, de 40 anos. ela relata que tanto ela quanto o seu filho de 10 anos de idade possuem asma e por causa das queimadas ela piora ainda mais. “Eu e meu filho temos asma e quando colocam fogo a fumaça deixa a gente sem ar, tem vezes que não aguento e vou pra casa da minha mãe, por que é insuportável ficar em casa por causa da fumaça”. 


Assim como a Rosana essa é a realidade de muitos imperatrizenses que sofrem com as queimadas na cidade. tal qual a população, os animais que habitam essas áreas de mata também são grandes vítimas das queimadas pois muitos desses animais silvestres fogem do seu ambiente natural e vão para as áreas urbanas e correm o risco de ser atropelados por algum veículo ou até mesmo serem mortos por pessoas que se “assustam” com eles. 


Queimadas no estado


Segundo estudos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Maranhão é o segundo estado com mais focos de incêndio do Brasil, apenas no primeiro semestre deste ano foram registrados mais de 2.870  focos de incêndio e cerca de 95% são provocados pela ação humana, consequência de queimadas irregulares.


De acordo com o Corpo de Bombeiros, durante o período de estiagem, quando as chuvas diminuem, o número de focos de incêndios tende a aumentar. A vegetação mais seca, aliada ao calor intenso, torna-se propensa a incêndios.

Leia também