Exames periódicos são a melhor forma de descobrir as hepatites. Foto: Divulgação

Entre 2007 e 2018, o Maranhão confirmou 8.921 casos de hepatites virais. Neste período, o tipo A apresentou predominância no estado com 4.116 casos, seguido por 2.756 casos do tipo B e 2.049 casos do tipo C, de acordo com os registros no Sistema de Informação de Agravos e Notificações (Sinan).

A hepatite é a inflamação do fígado. No país, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Em alguns casos, são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas. Atualmente, no Brasil, mais de 500 mil pessoas convivem com o vírus C da Hepatite e ainda não sabem, já que se trata de uma doença silenciosa que geralmente não apresenta sintomas até que atinja maior gravidade.

Em 2018, de acordo com o Ministério da Saúde, foram notificados 2.149 casos de hepatite A no Brasil, o que equivale a uma taxa de detecção de 1 caso por 100 mil habitantes – em 2008, era de 6,2 por 100 mil habitantes. Para incentivar a busca pelo diagnóstico e tratamento da doença, em outubro de 2017, o Ministério da Saúde, em parceria com estados e municípios pactuaram o plano de eliminação da hepatite C até 2030. Anualmente, o Ministério da Saúde envia aos estados cerca de nove milhões de testes rápidos para o diagnóstico desta condição.