Por Joilson Barros e Cristiane Miranda

Sandro Ricardo de Oliveira Sousa nasceu em 11 de agosto de 1976,  na cidade de Imperatriz-MA. Mais conhecido como Sandro Ricardo, atualmente é candidato pela terceira vez a um cargo político. É candidato pelo PCB à Prefeitura de Imperatriz. A primeira vez concorreu para vereador. A segunda e a terceira vezes como candidato ao poder executivo municipal. Mas não chegou a ser eleito nas eleições passadas. Ele é professor e tem formação em duas áreas: Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Filosofia.

O candidato apresenta os motivos que o levaram a entrar na disputa pela Prefeitura de Imperatriz. “O objetivo é termos um mundo livre e socialista. Existe uma premissa que diz: cada proletário tem que dar conta de seu burguês local. Nós, que fazemos parte das fileiras do Partido Comunista em Imperatriz, temos que fornecer a nossa parcela de contribuição ao movimento revolucionário, que prima por uma sociedade sem classes, uma sociedade que não exista exploradores e nem explorados”. O candidato explica a finalidade do seu partido, o PCB: “promover a revolução proletária no Brasil e conquistar o poder político para realizar a passagem do sistema capitalista para o sistema socialista”.

Propostas

Em uma live organizada pelo curso de Jornalismo da UFMA de Imperatriz na plataforma do Youtube durante a campanha, o candidato Sandro Ricardo teve a sua participação no dia 07 de outubro de 2020, de acordo com o sorteio da ordem de entrevistas dos candidatos.  Foi o terceiro participante no evento.

Uma das questões levantadas na live foi como poderia ser implementado o lema ‘Rumo ao Socialismo’, do partido do candidato, em uma cidade com o perfil de Imperatriz.  Sandro Ricardo explicou a ideia é a construção de um poder com participação efetiva do cidadão. “É  chamar a população para participar, trabalhar junto. Em relação ao ‘Rumo ao Socialismo’, cada proletário, cada trabalhador tem que tomar conta do seu governo, o imperatrizense tem que fazer seu papel de levar a essa consciência de classe. Nossa perspectiva é de poder popular, conversando com as pessoas nos bairros, em todos os locais, onde estão o trabalhador, a trabalhadora e os jovens”.

Ainda durante a live, o candidato também foi questionado sobre a polarização política e o possível enfraquecimento da esquerda no país. “A perda de espaço é por não se aliar aos trabalhadores, o que tem que fazer é a união dos trabalhadores, porque a perspectiva que a gente tem é de um poder popular rumo ao socialismo. Tem um problema estrutural no capitalismo, ele não vai ajudar a vida de nenhum trabalhador. A nossa perspectiva é de uma esquerda raiz e uma esquerda que venha fortalecer a consciência de classe”.

Trajetória política

O candidato Sandro Ricardo tem uma trajetória expressiva em movimentos sociais. Um deles foi o Movimento pela Água. “O prefeito anterior, que atualmente é candidato, queria privatizar a água em Imperatriz, com esse movimento conseguimos barrar este absurdo e ainda conseguir novos recursos para a Caema em Imperatriz”, recorda.

Outra frente na qual colaborou foi o Movimento pelo Transporte Público. “Em Imperatriz existia uma empresa de transporte coletivos que não atendia de maneira adequada a população. Várias pessoas na cidade foram para as ruas, motivadas por um movimento que começou em São Paulo por conta de um aumento nos preços de passagens de ônibus de R$ 0,20. O movimento em São Paulo também foi a saída da antiga empresa”.

Além disso, teve participação em vários movimentos grevistas, como por exemplo, dos professores do município, da rede estadual de ensino e das universidades federais. Outros movimentos no quais trabalhou foi o Movimento Fora Temer e o Fórum em Defesa da Previdência Social Pública, que abriga várias entidades.

O militante do PCB e assessor dos candidatos do PCB de Imperatriz, Evandro Fernandes, conhece o candidato desde 2014. Defende a atuação política de Sandro Ricardo e o plano de trabalho do professor. Sandro  Ricardo explica o objetivo do trabalho  coletivo do partido.“Tentamos a todo momento nos aproximar das pessoas que têm atuação orgânica nos movimentos sociais, principalmente as que conseguem colocar a teoria na prática”, pontua.

Análises

Para a professora da UFMA, Isabele Mitozo, Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná, a eleição municipal tem características próprias, que podem ser diferentes das disputas majoritárias.  O fato do candidato Sandro Ricardo está identificado com o campo da esquerda num cenário polarizado não será um obstáculo para captar votos. “Uma campanha municipal tem dinâmicas particulares, bastante distintas daquelas em nível nacional. Esse é um fator tão curioso que as duas primeiras décadas pós-redemocratização no Brasil foram marcadas por uma disputa tradicional acirrada entre dois partidos políticos, considerados à época esquerda versus direita, em âmbito nacional, porém era possível encontrar coligações entre eles em campanhas municipais pelos interiores do país”.

A professora explica que o êxito numa eleição municipal está mais ligado a uma atuação local bem estruturada. “Mesmo no cenário atual, que se estende desde as eleições presidenciais de 2018, quando é natural que os ânimos estejam acirrados no sentido de perpetrar uma polarização política na corrida eleitoral na cidade, não acredito que o investimento em ‘esquerda do mal’ versus ‘direita do bem’, por exemplo, pode ser uma boa estratégia aqui. Essa impressão se baseia no fato de que o pleito municipal é vencido por quem é mais conhecido na localidade, construiu a melhor imagem política, tem o melhor padrinho político etc. Não importando muito, desse modo, o espectro político-partidário ao qual pertence”.

Foto: reprodução

*Atividade da disciplina Técnicas de Reportagem, do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz (2020.1).