A quase dois meses internado, o comediante apresentou uma série de complicações no seu quadro e não resistiu as pioras.

 

Crédito: Reprodução/Instagram

Por João Pedro Brito

Hospitalizado no Rio de Janeiro desde o dia 13 de março depois de ser diagnosticado com Covid-19, ainda no dia 21 do mesmo mês, Paulo Gustavo precisou ser entubado após apresentar uma piora no quadro respiratório. Depois da intubação, segundo a assessoria, o humorista respondeu bem ao tratamento. Entretanto, com a agravação da doença, Paulo Gustavo evoluiu na piora e ainda no final da tarde de ontem (04/05), segundo os médicos, a sua situação era irreversível. O ator faleceu aos 42 anos, deixando o marido, os dois filhos e uma legião de fãs entristecidos com a sua morte.

Nas redes sociais a amiga, atriz, apresentadora e também comediante, Tatá Werneck, demonstrou sua imensa tristeza pela morte do amigo. “Meu amigo Paulo (está tão dificil. Me ajuda ? Deixa eu te ligar . Me dá conselho ? To me saindo bem? Tá difícil demais.” Escreveu ela em um dos posts do seu Instagram.

Outros amigos do ator também prestaram suas condolências à família e amigos. A cantora Daniela Mercury escreveu, “Essa notícia é devastadora. Não era para ser assim. Vá em paz!”.

https://www.instagram.com/p/COeOtUBH_21/?utm_source=ig_web_copy_link

O também ator e comediante, Rafael Portugal, deixou em um dos posts “Que bom que você passou por aqui Paulo, que sorte a nossa!!! Força pra família muita força.”.

https://www.instagram.com/p/COePYw9gT3d/?utm_source=ig_web_copy_link

Conhecido pelo seu carisma e talento nato para a comédia e atuação, Paulo Gustavo conquistou uma legião de fãs e admiradores dos seus trabalhos. Um dos seus personagens mais conhecidos, Dona Hermínia, do filme “Minha mãe é uma peça” arrancou risadas de muitos, o longa de comédia arrecadou um total de R$45,8 milhões em bilheteria, se tornando um dos maiores sucessos da carreira do ator.

Em um de seus últimos trabalhos, Paulo Gustavo ressaltou em seu discurso a importância do humor nos tempos atuais, deixando uma mensagem de fé e esperança para todos os brasileiros. “O humor salva, transforma, alivia, cura e traz esperança para a vida da gente”, disse ele já emocionado. O Brasil perde não só um excelente profissional, mas também um ser humano que serviu e serve de inspiração para milhares de pessoas, pela sua alegria, esperança e talento maestral.