Texto e fotos: Karla Rodrigues

 

Outubro Rosa é conhecido como o mês que simboliza a luta contra o câncer de mama pelas mulheres, mas também está sendo voltado para conscientização sobre a prevenção, diagnóstico e tratamento da doença entre os animais domésticos. De acordo com o Instituto Nacional de câncer (Inca), o câncer de mama é o tipo mais incidente entre a população feminina mundial e brasileira.

O que muitos não sabem é que pets também podem desenvolver a doença, com incidência de 45% para cadelas e 30% para as felinas, segundo dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). Em uma clínica veterinária de Imperatriz, mensalmente oito animais tem o diagnóstico de câncer de mama, “as chances de cura são maiores quando esses animais tem o diagnóstico precoce”, conta a veterinária Clenia Ribeiro.

O médico veterinário Fernando Marinho explica que problemas hormonais são as principais causas que leva ao desenvolvimento do câncer de mama nos animais.  “A ocorrência está relacionada principalmente a fatores hormonais, tais como o estrógeno e progesterona, assim também como o uso de anticoncepcionais que aumenta e muito a incidência de tumor na mama”, esclarece.

De acordo com o veterinário, uma das formas de prevenção é não utilizar anticoncepcionais e optar pela castração da fêmea antes do primeiro cio. “Os sintomas que podem ser observados nos animais são tristeza, falta de apetite, emagrecimento repentino, febre e vômitos. Presença de nódulos na região das mamas, inchaço ou dilatação na área mamaria e secreção com odor desagradável”, explica o médico.

Nas felinas a incidência do câncer de mama é de 30%

A supervisora Laudecy Bilio conta que sua felina foi diagnosticada com tumor na mama. “ Mia apareceu no telhado da minha casa, estava com feridas no quadril e o rabo quebrado, após três meses de internação para tratar das feridas Mia foi diagnosticada com tumor na mama, foi submetida a cirurgia para a retirada do tumor e hoje Mia está bem”, diz.

É importante que cadelas e felinas sejam examinadas pelos cuidadores responsáveis, e qualquer anormalidade deve ser levada ao conhecimento de um veterinário, pois o diagnóstico correto pode evitar o sofrimento dos bichinhos. Em nódulos benignos a cirurgia já é suficiente para o tratamento, mas para o tumor maligno a quimioterapia é indicada para que o câncer não apareça novamente.

Assim como para as pessoas, o diagnóstico precoce é essencial para o tratamento eficiente da doença nos animais, por isso a necessidade de visitar o veterinário pelo menos a cada seis meses. Campanhas de conscientização, como o Outubro Rosa, também são indispensáveis para alertar a população sobre os cuidados com a saúde dos bichinhos.