A 16º  edição do Salão do Livro de Imperatriz (Salimp), que deu inicio no dia 27 de setembro e vai ate o dia 6 de outubro, desde 2016, abre oportunidade para escritores de outros estados para lançar, durante o evento, livros recém-editados.

O evento que já é uma tradição, impulsiona o mercado literário na região, isso porque acontecem atividades culturais, como vendas de livros, exposições, oficinas, palestras e rodas de debates.

Este ano foram convidados 5 escritores de estados diferentes para expor e vender seus livros, todos, participantes do GAEB – Grupo Associados de Escritores Brasileiros.

Escritora Mirna Micheli Nesi no Stand do GAEB

Escritora Mirna Micheli Nesi no Stand do GAEB

Mirna Micheli Nesi, do Rio de Janeiro, visita pela primeira vez o estado do Maranhão e fala da sua surpresa em ter leitores que conhecem seu trabalho na região. Formada em biologia, se tornou escritora a 4 anos e desde então lançou 2 contos e 2 livros.” As vendas dos meus livros superaram minhas expectativas, desde a abertura do evento, os livros estão sendo bem vendidos”, comenta a escritora.

Outros escritores como Silvano Colli de Brasília, Eronita Mota, Edivânio Honorato  e Inêz Carolina, ambos de Goiânia, também fazem parte do Stand da Feira do Livro de Imperatriz.

Segundo a coordenadora Geral, Núbia Carvalho, “o Salimp se tornou muito mais que uma feira de livros, se transformou num evento multicultural”, comentou . O evento já se configurou como o mais importante feira literário-cultural do Maranhão. Desde o inicio do evento, são calculados de 15 a 20 mil visitantes ao dia.

Este ano, O 16º SALIMP tem como tema “A língua que falamos” e lema “A última flor de Lácio inculta e bela”. O evento é realizado no Centro de Convenções e vai até o dia 6 de outubro.