Profissionais da educação municipal protestam em frente a prefeitura de Imperatriz

Nesta terça – feira, 06 de junho, os profissionais da educação pública do município de Imperatriz realizaram uma manifestação na frente da prefeitura Municipal, requerendo reposição salarial da categoria, auxílio tecnológico aos professores, bem como pagamento de 1/3 (um terço) de férias de outros profissionais dos estabelecimentos de ensino como: merendeiras, zeladores e zeladoras, vigias, porteiros e etc. Além disso cobram também adicional de insalubridade e outras pautas.
No dia 14 de junho de 2021 o secretario municipal de Administração e Modernização Alair Batista Firmino, encaminhou o ofício n°. 644/21/GS ao Sindicato dos Trabalhadores dos Estabelecimentos de Ensino de Imperatriz (STEEI), em resposta a uma solicitação feita pelo sindicato a Firmino ainda no inicio do ano. No texto, Firmino alega que a prefeitura municipal está impedida por Lei Complementar (LC 173/2020), de conceder reajuste, vantagem ou adequação de remuneração aos servidores e empregados públicos. 

Para o professor Evandro Fernandes, um dos profissionais da educação municipal que protestavam na frente da Prefeitura, a escolha de não fazer a reposição e de não conceder outras garantias aos trabalhadores é apenas do prefeito. 

Professor Evandro Fernandes à esquerda em uma cadeira de rodas e com um borrifador de álcool na mão.

“O prefeito decidiu congelar os salários dos professores do município. A pandemia mudou a configuração do trabalho docente em todos os níveis. Nós professores, tivemos que trabalhar de forma remota das nossas casas. Isto gera um aumento do consumo de energia elétrica, tivemos que mudar nossos planos de internet, pagando mais caro por isto, tivemos que entrar em dívidas comprando computadores e aparelhos tecnológicos para melhor desempenhar nossa função, que é educar. Trabalhamos o triplo do que trabalhávamos. Na plataforma que mal funciona, no Whatsapp respondendo os estudantes e pais e em produção de vídeos ou aulas online pelo Meet. Mesmo assim, o prefeito municipal, não fez nenhuma reposição salarial e nenhum reajuste.” Concluiu o professor.

Fernandes também pontuou que a manifestação também tinha objetivo de pressionar a gestão atual do Sindicato da categoria, que, segundo ele, não tem representado corretamente os profissionais da educação municipal. 

“Nos organizamos por conta própria, porque o sindicato STEEI, que deveria representar nossa categoria está, aliada ao prefeito contra os profissionais da educação. Eles trabalham juntos contra a categoria. Por isso, fomos as ruas, reivindicando reposição salarial aos profissionais da educação, auxílio tecnológico aos professores, pagamento do terço de férias aos profissionais que compõem os 40%, bem como pagamento de insalubridade e outras pautas justas para a categoria. Repudiamos a omissão do sindicato e não concordamos com o 0% imposto a nós pelo prefeito em conluio com o sindicato.” disse. 

Em nota encaminhada a este site, a prefeitura questionou a representatividade e a legitimidade dos manifestantes que organizaram o ato em frente ao Palácio Renato Cortez Moreira, nesta terça-feira (06). Além disso a nota informa que a questão levantada pelos manifestantes já foi tratada com o sindicato da categoria o STEEI. Em relação as demais pautas levantadas pelos profissionais da educação a prefeitura não mencionou na nota. 

Confira a nota na integra:

NOTA
A Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) esclarece que as tratativas a respeito de reajuste salarial para os profissionais da Educação já foram realizadas com a legítima representatividade sindical da categoria, no caso o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino de Imperatriz (Steei).
Conforme parecer da Procuradoria Geral do Município, com base na Lei n° 173/2020, de responsabilidade fiscal, fica vedada oneração da folha de pagamento, com reajustes salariais durante a pandemia.

Sobre as pessoas que estiveram à frente do Palácio Renato Cortez Moreira, nesta terça-feira (06), solicitando aumento de salários, não possuem representatividade sindical, tendo em vista estarem ligados a uma “suposta entidade” sem o devido reconhecimento legal.
Assim, reforçamos nosso compromisso com a classe dos profissionais da Educação, mas sempre respeitando as possibilidades financeiras e situação econômica do Município. 
Imperatriz, 06 de julho de 2021.

Confira algumas fotos da manifestação:

Leia Também