As mulheres representam 52% do eleitorado maranhense, de acordo com dados de julho de 2018 disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral. Nesse cenário, os seis candidatos ao governo do Maranhão incluem propostas de governo específicas para elas. As proposições abrangem questões relacionadas ao incentivo à Lei Maria da Penha, saúde, trabalho e segurança.

O candidato do Psol, Odívio Neto, é o que mais apresenta propostas, um total de oito. Roberto Rocha (PSDB) fica em segundo lugar com quatro, Flávio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (MDB) e Maura Jorge (PSL) ficam em terceiro com um total de duas e em último lugar, com 1 proposta apenas, fica o candidato do PSTU, Ramon Zapata.

Conheça quais são as propostas de governo de cada candidato abaixo (em ordem alfabética):

  1. Implantar a Casa da Mulher Maranhense nas regiões com maior índice de violência contra a mulher, assegurando os serviços de promoção, proteção e defesa de direitos, dentre os quais a Patrulha Maria da Penha;
  2. Expandir o Programa Mais Empregos para estimular a inserção no mercado formal de trabalho, por meio de incentivos fiscais às empresas cadastradas, atendendo ao critério de paridade de acesso entre homens e mulheres.
Flávio Dino

PCdoB

  1. Ampliar os serviços de urgência e emergência, dando ênfase e atenção  às mulheres, humanizando e melhorando a qualidade nos atendimentos;
  2. Implantar programas e projetos que assegurem a inclusão da mulher e de políticas de combate à discriminação de gênero, de raça, de etnias e o respeito a diversidade sexual, garantindo a inclusão sócio produtiva.
Maura Jorge

PSL

  1. Edital estadual de fomentos à iniciativas coletivas e projetos por jovens, com atenção especial às mulheres;
  2. Apresentação da destinação da verba estadual na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para a efetivação de políticas públicas voltadas para as mulheres;
  3. Reorganizar o Centro de Atendimento ao Trabalhador para auxiliar na orientação vocacional, democratização das oportunidades e intermediação das vagas, principalmente para mulheres;
  4. Incentivar a contratação de mulheres;
  5. Criação de programas de fiscalização para a identificação das empresas que não respeitam os direitos das mulheres;
  6. Garantia do atendimento 24 horas em delegacias da mulher, incluindo mulheres transexuais e travestis;
  7. Incentivar e fomentar a aplicação da Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio;
  8. Criar habitações coletivas e incentivos de assistência moradia para as mulheres.
Odívio Neto

Psol

  1. Defendemos a aplicação e ampliação da Lei Maria da Penha.
Ramon Zapata

PSTU

  1. Ampliar os serviços móveis da assistência especializada na saúde do homem e da mulher (carretas do homem e da mulher);
  2. Criar uma rede única de serviços reunindo sob um mesmo organismo todos os programas voltados para a Mulher, serviços e equipamentos existentes e a serem implantados;
  3. Valorizar as entidades da sociedade civil com trabalho reconhecido na área de saúde e atenção à mulher como forma de ampliar o atendimento às vítimas e prover ações contra a violência de gênero;
  4. Construir centros de atendimento e acolhimento às mulheres vítimas de violência.
Roberto Rocha

PSDB

  1. Os programas complementares de âmbito federal e estadual de auxílio às mulheres terão um novo impulso. Isso será efetuado também em parcerias com organizações da sociedade civil, tornando a prestação de serviço social abrangente, responsável e especializada;
  2. Vamos atuar duramente no combate às desigualdades, implantando programas que valorizem os cidadãos independente de sua cor, de sua origem, de seu gênero e de sua escolha.
Roseana Sarney

MDB