Com o surgimento do coranavírus, iniciou-se uma pandemia ao redor do mundo. O isolamento social tornou-se parte da rotina e medidas de higiene e segurança foram sugeridas pelos órgãos de saúde e pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Apesar do medo, da solidão e do luto, o uso de máscaras pela população mundial transformou-se em um novo padrão de normalidade e como não podia deixar de ser logo se tornou um acessório para compor o estilo. Ou seja, com o uso desse item sendo obrigatório, muitas pessoas pensaram em uma forma de continuarem seguindo as tendências da moda sem deixar de lado a segurança.

O estudante de Engenharia Elétrica, Marcos Nascimento Soares, 19 anos, afirma que “a máscara é uma ferramenta importante” e o isolamento proporcionou um melhor aproveitamento do seu tempo. Questionado sobre seu estilo, o jovem pontua que ele “é bastante eclético, pois sou uma pessoa que não gosta de ser definida, colocada em uma caixa com limites e padrões”. As máscaras pretas sempre são combinadas com suas roupas mais escuras, porém quando a roupa traz uma estampa colorida, Marcos afirma que troca a estampa por uma que combine com alguma das peças de roupa usadas.

Segundo novas orientações da OMS, as máscaras de tecido precisam ter três camadas para evitar a disseminação do vírus. A camada externa deve ser de um material resistente à água, a camada interna deve ser de um material que a absorva e a camada intermediária deve funcionar como um filtro, garantindo maior proteção ao sair de casa.

Dessa forma, inúmeras costureiras estão aproveitando para fazer uma renda extra e utilizam estampas coloridas, variadas e que combinem com o gosto de cada cliente. Os tecidos seguem a recomendação dos órgãos de saúde, porém as cores, estampas e as modelagens dão um toque criativo e único.

A artesã e costureira Osmarina Barros da Silva, 58 anos, começou a vender máscaras caseiras desde o começo da pandemia. A unidade é vendida por 5 reais, porém ela também vende acessórios, como tiaras feitas de pano, que combinam com a estampa da máscara. O combo sai por 10 reais e os clientes escolhem suas estampas favoritas.

Os jovens procuram alternativas para seguirem as tendências nesse momento.

Máscara preta é versátil e combina com todos os estilos

Máscaras como costume

Apesar das máscaras serem uma novidade no Brasil,em país asiáticos, como por exemplo, China e Coréia do Sul, o uso delas é bem comum. Em virtude dos níveis altos de poluição do ar nesses países, a máscara é o principal meio de proteção e também uma forma de não transmissão de doenças.

Para além da proteção, na Coréia do Sul, a máscara também é sinônimo de estilo. A peça é super popular entre os K-Idols– cantores do gênero musical sul coreano intitulado K-Pop – e é o acessório que não pode faltar nas aparições públicas dos artistas. E é claro, também se tornou uma tendência entres os fãs de K-pop.

PROJETO:

Simcom 2020

RESULTADO:

Jornalismo de moda

REPÓRTERES:

Brenda Lima

Maira Soares

 

CRÉDITOS:

Fotos: Brenda Lima

ORIENTAÇÃO

Professora Thaísa Bueno