Quatro Bocas

 

No local o atendimento é 24 horas todos os dias da semana. Os trabalhadores se organizam entre si e dividem os turnos atendendo  sempre aos apreciadores da panelada. Em noites de shows na cidade o movimento é intenso a noite inteira. Tradicionalmente funcionando no mesmo local há mais 30 anos, o setor da panelada como é conhecido popularmente  é bastante prestigiado tanto por moradores da cidade, quanto por visitantes, pessoas comuns e também por  personalidades, cantores, empresários e políticos fazem questão de marcar presença quando visitam Imperatriz.

 

Panelada

DE IMPERATRIZ

Com um forte potencial para o turismo de eventos e negócios, Imperatriz tem suas peculiaridades e podemos citar o prato típico da cidade como destaque, a PANELADA prato feito com o bucho, as tripas e a pata de boi cortado em pedaços e temperado com os condimentos desejados, caiu no gosto dos imperatrizenses. Esse prato é tradicionalmente oferecido no setor das Quatro Bocas, nos cruzamentos da Avenida Bernardo Sayão com a Avenida Ceará. Atualmente 20 famílias trabalham no setor tirando da venda das comidas caseiras em especial da panelada o sustento da família.

Lucileia de Sousa Gomes

É uma vendedora de panelada e comida caseira no setor das Quatro Bocas, através da venda de comida foi custeado todas as despesas do curso: transporte, alimentação, livros, impressões, materiais, roupas e todos os materiais que a graduação exige. Lucileia é formada no curso de direito por uma faculdade particular e sempre teve o sonho de realizar essa graduação. De família simples, a bacharel em Direito, é a primeira dos seis irmãos a ter uma graduação superior. “Sou de uma família de poucas condições e fomos criados só por mãe, porque meu pai morreu há 20 anos, na época eu tinha apenas 9 anos. Minha mãe criou todos os seis irmãos sempre sozinha. Por isso que ela não teve condições de investir em nossa Educação, como escolas boas, cursinho pré-vestibular. Sempre estudamos em escola pública”, reitera Lucileia de Sousa, que virou referência para os irmãos no sentido de buscar uma qualificação.

O orgulho da família

Essa barraca está nesse ponto tem 13 anos e atualmente ajudo minha irmã já faz 1 ano e 5 meses” relata Vitor, demonstrando assim a determinação de Luci em manter sua barraca, já que passou cerca de 11 anos e 7 meses mantendo-a sozinha.

Vitor Emanuel

Maria da Paz, 20 anos vendendo panelada

                 EXPEDIENTE:

Dina Prardo

Editora

Lucas Silva

Repórter

Táyron Chagas

Fotógrafo

Gidel Sena

Repórter

Vitor Hugo

Repórter