Lista de oito livros literários para ler nas férias

Repórter: Denise Ribeiro

 Fotos: adquiridas na internet

O desejo de muitas pessoas nas férias é viajar e esquecer os problemas, e nada mais recomendando para isso do que boas leituras, visto que ler é viajar para um outro mundo e se deliciar com a escrita e os novos conhecimentos. Por isso a professora de Letras, Deivanira Vasconcelos, mestre em Letras pela Universidade Estadual do Maranhão-UEMA (2019) e pesquisadora no grupo de pesquisa GELITI (Grupo de Estudos Literários e Imagéticos), indica oito livros para ler durante as férias

Para a professora “Esses textos que indico são da literatura contemporânea, todos são importantes porque abordam realidades ficcionais próximas da realidade do Brasil que vivemos. São os textos, os livros que nos põem como humanos diante de versões de nós e da nossa sociedade”, diz ela.

No Brasil, de acordo com o último mapeamento feito pelo Ibope Inteligência e encomendado pelo Instituto Pró-Livro, o chamado “Retratos da Leitura no Brasil, os jovens estão lendo mais, é de se considerar um aumento da busca por obras literárias, porém ainda abaixo do esperado.

Para ler não tem idade, seja você criança, jovem ou adulto, a leitura sempre será bem-vinda. Um estudo feito em 2010 por pesquisadores da Universidade de Tennsessee, nos Estados Unidos, mostrou que jovens que leem livros durante as férias tem um rendimento escolar superior, se comparado com os que não leem. Esse exemplo só enfatiza a importância da leitura na vida tanto escolar como social do indivíduo.

A leitura é transformadora, proporciona mais conhecimento, enriquece o vocabulário, muda a forma de encarar os desafios, muda a visão de mundo, traz vários benefícios. Portanto, é relevante, principalmente em períodos vagos pegar algo para ler. Os livros literários favorecem um pensamento crítico acerca de questões éticas, políticas, sociais e ideológicas. A literatura está intrinsicamente relacionada com a sociedade. Ela contribui com a formação cultural do indivíduo, a literatura contemporânea é algo novo e ressalta que pessoas do presente também são capazes de escrever coisas boas.

Você que quer agregar mais conhecimento nessas férias necessita conhecer os oito livros literários selecionas pela Deivanira, cada um vem com um resumo feito pela própria professora, mostrando os principais assuntos contidos neles.

  1. Livro K- relato de uma busca- do autor B. Kucinski.

“K é livro ficcional, mas baseado em fato real. O Bernardo Kucinski perdeu uma irmã que era professora de química em uma Universidade de São Paulo, e ela desapareceu durante a política na Ditadura Militar, em 1974. A irmã de Bernardo Kucinski, na verdade foi presa pelos militares ao lado do marido e desapareceu sem deixar rastros. Então o pai dela, que era judeu e dono de uma loja no Bom Retiro que fora preso na juventude por suas atividades políticas, inicia então uma busca incansável pela filha e depara com a muralha de silêncio em torno do desaparecimento dos presos políticos. Ele cria essa história, esse personagem em que é pai a partir dessa realidade que ele viveu com a família dele. Isso é chamado na literatura de literatura de testemunho, a pessoa teve uma perda, em um holocausto, uma guerra, e claro fica consequentemente traumatizado com a perda, pois a pessoa foi torturada e maltratada, devido a esse acontecimento surgiu o K”.

Esse livro foi publicado originalmente em 2011 pela editora Expressão Popular, em 2013 ganhou nova edição pela Cosac Naify, e finalmente, em 2016, chegou à Companhia das Letras. Ao longo desses anos, K. se firmou como um clássico contemporâneo da literatura brasileira.

Editora: ‎ Companhia das Letras; 1ª edição (21 julho 2016)

Idioma: ‎ Português

Capa comum: ‎ 176 páginas

Preço médio: 29,89

2. Os visitantes- do autor B.

“O jornalista Bernardo Kucinski causou furor na cena literária brasileira com seu romance K: Relato de uma busca, publicado em 2013. História de um pai em busca da filha que desapareceu durante a ditadura no Brasil, o romance angariou uma legião de fãs e foi aclamado como uma das grandes obras literárias daquele ano. A novela “Os visitantes” é uma continuação de K, e cada capítulo narra a visita de uma pessoa diferente que vai até o autor cobrar satisfações sobre o livro anterior. Narrado com frieza e precisão. “Os visitantes” confirma o lugar de Bernardo Kucinski entre os grandes autores da literatura brasileira”.

Editora: ‎ Companhia das Letras; 1ª edição (15 junho 2016)

Idioma: ‎ Português

Capa comum‏: ‎ 88 páginas

Preço médio: 30,00

3. A nova ordem- B. Kucinski

“Este livro é uma distopia sobre o Brasil. Neste livro o Brasil vira uma Ditadura descontrolada e todos são submetidos aos Bancos. Todo mundo é obrigado a ter uma conta em Bancos assim que completa dezoito anos, as pessoas tem que adquirir dívidas. Todos os órgãos são desmontados, deixam de existir nesse livro, devido um decreto.  Tem vários artigos de Lei que são criados para destruir muitas coisas. A primeira cena já é bastante chocante, pois acontece o fuzilamento de vários cientistas. Tudo no livro é invenção, mas quase tudo aconteceu ou está acontecendo.

A narrativa aterradora e envolvente sobre a nova ordem no Brasil de ficção nos lembra aquilo que Hanna Arendt nomeou de “banalidade do mal” referindo-se aos criminosos nazistas e a seus crimes. A insanidade e o grau de desumanização daqueles que comandam a nova ordem é de tal magnitude que a sociedade anestesiada não consegue acreditar no que vê e, da mesma forma, não sabe como reagir”.

Editora: ‎ Alameda Editorial; 1ª edição (1 junho 2019)

Idioma: ‎ Português

Capa comum: ‎180 páginas

Preço médio: 33,44

4. Homens em tempos sombrios- Hannah Arendt

“Este livro contém ensaios biográficos de homens e mulheres que viveram os “tempos sombrios” da primeira metade do século XX, período que foi marcado pela emergência do totalitarismo na forma do nazismo e do stalinismo. O livro traz relatos que possuem uma beleza que reside na sólida crença de Arendt na solidariedade e dignidade humanas, valores morais capazes de impedir o triunfo do niilismo e do totalitarismo numa época de experiências catastróficas”.

 Editora: ‎ Companhia de Bolso; Edição de bolso (21 outubro 2008)

 Idioma: ‎ Português

 Capa comum: ‎ 320 páginas

 Preço médio: 27,50

5. Enterre seus mortos- Ana Paula Maia

“Neste livro a autora, adota protagonistas homens em situações, em trabalhos considerados sujos. Trata bastante sobre a violação da humanidade, uma somofização do ser humano. São personagens complexos, é esperado deles violência, coisa que eles não praticam, espera-se uma ação, mas sempre vem outra, o leitor pensa que eles são maus, porém isso não é verdade, são personagens que catam animais mortos nas estradas para moer a carne e na maioria das vezes eles também vão encontrar pessoas mortas, porém não devem pegar porque tem outros órgãos responsáveis por esse trabalho.  O texto é uma mescla de novela policial, faroeste de horror e romance filosófico, escrito por uma das vozes mais originais da literatura brasileira contemporânea.

A autora traz o personagem que é Edgar Wilson, um homem simples que executa tarefas. Trabalha no órgão responsável por recolher animais mortos em estradas e leva-los para um depósito onde são triturados. Seu colega de profissão, Tomás, é um ex-padre excomungado pela igreja Católica que distribui extrema unção aos moribundos vítimas de acidentes fatais que cruzam seu caminho”.

  Editora: ‎ Companhia das Letras; 1ª edição (19 março 2018)

  Idioma: ‎ Português

  Capa comum: ‎ 136 páginas

  Preço médio: 19,40 

6. A noite da espera- Milton Hatoum

 “Em A noite da espera é apresentado um personagem jovem que vai morar em Brasília nos anos 1960, por conta da separação dos pais, e ele vai conhecer na atual cidade que vive pessoas que protestam contra a Ditadura, pessoas que se organizam para combate-la, porque eles são massacrados. O protagonista então em um determinado momento foge para Paris, juntando papeis que ele havia escrito para assim escrever esse livro. O livro é essa busca por fragmentos que tinha escrito. Ele é um personagem que não se envolve muito, ele cai, pode-se dizer que de paraquedas nas questões políticas. O pai dele é um grande apoiador da Ditadura Militar, ele fica super feliz, por exemplo, quando é instaurado o Ato institucional 5°. Quanto ao garoto ele é considerado sofrido, pois ele sente muito a falta da mãe, visto que ele vai morar com pai em Brasília. Então, a partir da questão de não apoio a Ditadura e ao drama familiar, ele dar à luz a um poderoso romance de formação”.

 

Editora: ‎Companhia das Letras; 1ª edição (27 outubro 2017)

Idioma: ‎ Português

Capa comum: ‎ 216 páginas

Preço médio: 29,90

7. Eles eram muitos cavalos- Luiz Ruffato

“Este livro é um exemplo de livro extremamente contemporâneo, totalmente fragmentado de duas em duas páginas é um texto, como se fosse uma coleção de contos, é um livro que tem um pouco de tudo, como carta, notícia, metereologia do dia, a história se passa na grande São Paulo. Foi lançado originalmente em 2001, o romance Eles eram muitos cavalos tornou seu autor num grande sucesso de público e crítica. A narrativa literária original e arrebatadora, conquista quem ler. O autor combina recursos de sua formação jornalística a inovações formais e estéticas”.

O romance, que chega neste relançamento à sua 11ª- edição, seria ainda vencedor dos prêmios APCA e Machado de Assis. Considerado pelo jornal O Globo um dos dez melhores livros de ficção da década, está publicado em Portugal, na França, Itália, Alemanha, Colômbia e Argentina. O nove de maio de 2000 é um dia qualquer em São Paulo.

 Editora: ‎ Edição Econômica; Edição de bolso (16 outubro 2013)

 Idioma: ‎ Português

 Capa comum: ‎ 136 páginas

 Preço médio: 30,00

8. Sobreviventes e guerreiras- Mary Del Priore

“É um livro que conta a história de mulheres, contando fatos desde o ano de 1500 até ano de 200. A autora inicia dessa forma “enquanto você lê este livro, a cada duas horas uma mulher é assassinada.” É uma obra essencial para se entender o porquê de, até hoje, ser fundamental discutir e, principalmente, lutar pela igualdade de direitos para o gênero feminino. Apesar de o Brasil já até ter tido uma presidenta e de 45% dos lares serem comandados por mulheres (segundo pesquisa do IPEA de 2018), a brasileira continua sendo agredida, desqualificada, perseguida, insultada. O livro ganhou o prêmio Jabuti”.

 Editora: ‎ Planeta; 1ª edição (28 setembro 2020)

 Idioma: ‎ Português

 Capa comum: ‎ 256 páginas

 Preço médio: 30,90

8. Sobreviventes e guerreiras- Mary Del Priore

“É um livro que conta a história de mulheres, contando fatos desde o ano de 1500 até ano de 200. A autora inicia dessa forma “enquanto você lê este livro, a cada duas horas uma mulher é assassinada.” É uma obra essencial para se entender o porquê de, até hoje, ser fundamental discutir e, principalmente, lutar pela igualdade de direitos para o gênero feminino. Apesar de o Brasil já até ter tido uma presidenta e de 45% dos lares serem comandados por mulheres (segundo pesquisa do IPEA de 2018), a brasileira continua sendo agredida, desqualificada, perseguida, insultada. O livro ganhou o prêmio Jabuti”.

 Editora: ‎ Planeta; 1ª edição (28 setembro 2020)

 Idioma: ‎ Português

 Capa comum: ‎ 256 páginas

 Preço médio: 30,90

Leia Também