Durante muitos anos, os indígenas tiveram suas histórias sendo contadas por “terceiros”, e tendo isso como um dos principais motivos o indígena e jornalista, Erisvan Guajajara, decidiu então criar o projeto “Mídia Índia”. É um plano de rede de comunicação constituída por jovens indígenas de diversas etnias de várias regiões do Brasil. O projeto foi lançado oficialmente em abril de 2017 na maior mobilização anual de indígenas do País, o Acampamento Terra Livre (ATL), e tendo como um dos principais objetivos fortalecer a voz dos povos indígenas nas redes sociais.

No caso das questões indígenas, é possível verificar algumas iniciativas que demonstram a apropriação das novas tecnologias da informação por jovens indígenas, fazendo com que eles próprios tornem-se narradores de suas próprias causas e lutas, sem a necessidade de intermediação de terceiros. “A necessidade de estar presente e ser presente na sociedade como um todo, nos impôs buscar novos meios para mostrarmos a nossa cultura, luta e resistência no mundo virtual. ”, afirma o Jornalista.

Imperatriz Notícias: De onde surgiu a ideia de criar o projeto mídia índia?
Erisvan Guajajara: Nas mídias tradicionais, a imagem indígena ainda passa por um filtro da exotização, do folclore e por vezes, ainda mais grave, da criminalização. Hoje, menos de 8% da população brasileira acredita que essas mídias representam a população ou valores democráticos, 35% acreditam que estes veículos representam os interesses de seus donos, 32% acreditam que a mídia comercial representa os interesses dos mais ricos, 15% acreditam que a grande mídia representa o interesse de políticos vinculados a esses veículos tradicionais, é hora de empoderar os veículos independentes de comunicação, é hora de empoderar a Mídia índia.

IN: O que é a Mídia Índia?
EG: A Mídia Índia é um projeto de formação de uma rede de comunicação descentralizada que produz e difunde conteúdos e pautas próprios da questão indígena no Brasil, respeitando as especificidades de cada povo, partindo da lógica colaborativa de compartilhamento e de comunicação, conectando e empoderando jovens indígenas de todo o país.

 IN: Quando o projeto foi lançado?
EG: O projeto foi lançando oficialmente em abril de 2017 na maior mobilização anual de indígenas do Brasil, o Acampamento Terra Livre (ATL), que acontece em Brasília-DF. Somado o apoio coletivo de redes de comunicação ativistas já existentes, formamos um grupo de 10 jovens que começaram o processo de formação e empoderamento das ferramentas de mídia e comunicação.

IN: Qual a principal proposta desse projeto?
EG: A maior de todas é fortalecer a Mídia Índia como um veículo de comunicação oficial da causa indígena, ampliar a difusão e visibilidade da luta dos povos, da sua busca por direitos e por terras. É um dos únicos veículos de comunicação formado por indígenas, coordenado por indígenas e com da luta indígena.

IN: É necessário qualificar a equipe, como vocês irão fazer isso?
EG: Vamos qualificar a equipe por meio de capacitação e formação com oficinas e encontros durante o ano em parceria com as Mídias Livres como a Mídia NINJA, projeto Coisa de Índio e outros. A formação terá como base a experiência da rede Mídia NINJA, o corpo docente será formado por comunicadores, coordenadores e colunistas da rede. Nossa equipe é por formada por 10 indígenas que irão ser protagonistas dessa formação, juntamente com mais 10 jovens indígenas que poderão ser selecionados por uma convocatória aberta inscrições que serão divulgadas em todo território nacional pela Mídia índia, convocando colaboradores a compor a nossa equipe e participar do processo de formação.