Por Aylla Yohana e Vanessa Carvalho

Tacilla Mariana Carvalho Silva, candidata pelo PSC (Partido Social Cristão) à Prefeitura de Imperatriz-MA, nasceu dia 2 de fevereiro de 1994 na cidade de Imperatriz. Filha dos empresários Deusa Carvalho e Adauto Carvalho Silva, presidente da Sociedade Imperatriz Desportiva, conhecido como Cavalo de Aço, um dos times locais mais populares.

Mariana cresceu na cidade com suas quatro irmãs, em uma família humilde. Seu pai, antes de se tornar comerciante, foi camelô e sua mãe trabalhou como diarista. Estudou o ensino fundamental e o ensino médio na escola Santa Teresinha e formou-se em direito na Faculdade de Imperatriz (FACIMP) no ano de 2019.

Mariana atua também como administradora de empresas, foi dirigente esportiva do Cavalo de Aço em 2017, fez parte da diretoria do Conselho de Jovens Empresários de Imperatriz e trabalhou como radialista durante um ano. É protestante e noivou-se em julho de 2020 como Ivanildo Tavares.

Trajetória Política

A família de Mariana sempre a apoiou em sua carreira política, desde cedo se engajou em movimentos estudantis e de classe, mas sua primeira experiência com a política foi nas eleições de 2018, quando se candidatou a deputada estadual do Maranhão pelo Partido Social Liberal (PSL), denominado conservador e de direita que elegeu o presidente Jair Bolsonaro no mesmo ano.

Uma das principais proposta na sua candidatura visava o fortalecimento das cidades do interior do estado. Segundo a candidata, a ideia era acelerar o desenvolvimento das localidades para beneficiar a população. Mariana não foi eleita, mas contabilizou cerca de 14 mil votos em todo o estado.

No segundo semestre de 2019, Mariana ingressou na maior Escola Técnica de Formação Política do Brasil, RenovaBR, sendo a única mulher de Imperatriz a participar. O RenovaBR é um movimento que tem como objetivo formar novos políticos de todo o país, ao incentivar pessoas a entrarem na cena política,  apoiando assim o surgimento de novas lideranças. No final do curso apresentou o seu projeto “Ajudar é o bicho”, onde ganhou o prêmio de melhor projeto do Nordeste, que consiste em dar amparo a animais de rua abandonados. Hoje conta com 20 voluntários diretos e ações são realizadas na cidade de Imperatriz, como instalação de comedouros e bebedouros.

Atualmente é candidata à prefeitura de Imperatriz pelo Partido Social Cristão, de centro-direita. Saiu do PSL e se filiou ao PSC pela falta de comunicação local do partido e não por uma questão ideológica, explicou ela. Mariana afirma que no PSC foi onde conseguiu ter voz e oportunidade para entrar na disputa pelo cargo chefe do poder executivo na esfera municipal. O partido possui três pilares principais, apoiam a redução da maioridade penal, liberdade econômica e contra a legalização do aborto.

Mariana Carvalho é a única mulher na disputa pelo cargo à prefeitura de Imperatriz. Apesar de não se considerar feminista, apoia e encoraja as mulheres na política e disse que respeitará representantes do povo que possuem ideologias diferentes das suas, priorizando a necessidade e a vontade da população.

Glaucio Serafim Júnior, 54 anos, compõe a chapa de Mariana e busca o posto de vice prefeito de Imperatriz. Glaucio atua como engenheiro civil há mais de 30 anos. Duas de suas obras mais conhecida são o Imperatriz Medical Center e o Edifício Joá, ambos na cidade. Mariana afirma que ela e seu vice trabalharão juntos durante a possível gestão.

Propostas

O Plano de Trabalho da candidata à prefeitura de Imperatriz é dividido em quatro eixos. O primeiro eixo tem como tópicos a saúde, a educação, a habitação e a regularização fundiária. O segundo aborda temas como saneamento ambiental, meio ambiente, defesa civil e segurança pública. O terceiro tópico destaca o desenvolvimento econômico. E o quarto pauta a gestão, participação e transparência.

Uma das principais propostas relacionada a saúde é a criação de um hospital modular. O prédio que atualmente abriga o Hospital Municipal de Imperatriz, Socorrão, não é do município. A candidata deseja construir um hospital próprio e de forma rápida. Segundo a candidata, construções de hospitais demoram anos para serem finalizadas e a solução para esse problema seria o hospital modular. Construído através de módulos, uma vez que cada módulo ficasse pronto, seria possível a utilização deste pelos pacientes e médicos.

A advogada destacou que deseja fazer uma reestruturação dos postos de saúde da cidade, aumentando o horário de funcionamento, permitindo que funcione no horário de almoço, à noite, nos feriados e aos finais de semana, fazendo exames básicos como os de hemograma e disponibilizando remédios para a população.

Uma das propostas para o desenvolvimento urbano é a criação de poços artesianos para suprir as necessidades das populações dos bairros da cidade que não tem acesso a água potável.

Para melhorar a infraestrutura da cidade, que hoje sobre com alagamentos em diversos pontos durante as chuvas, Mariana pretende extinguir esse problema criando uma subsecretaria de rios e lagos dentro da secretaria de meio ambiente para monitorar as chuvas, mapear as enchentes, cadastrar a rede de drenagem e monitorar a limpeza dos riachos da cidade.

A candidata pretende implantar o projeto Castra Móvel em parceria com as universidades e iniciativa privada, frisando a castração dos animais de forma itinerante e ampliando o controle populacional de cães e gatos na cidade.

Análises

A estudante e eleitora Karen Mariane, de 22 anos, explica que não votaria em Mariana por conta dos ideais que o seu partido defende. Segundo Karen, Mariana não está apta para exercer o cargo de prefeita pela forma que ela lidou com a denúncia que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, recebeu em 2018, por práticas ilícitas do uso das redes sociais na campanha dele. A acusação apontava a existência de empresas que estariam pagando pelo envio de mensagens a favor do candidato. Na época, muitos de seus eleitores teriam ironizado esse episódio, assumindo ser o seu caixa 2. Conforme Karen, Mariana Carvalho teria assumido também essa postura de desqualificar a denúncia, o que a eleitora considerou uma escolha equivocada.

O professor Carlos Alberto Claudino, Mestre em Políticas Públicas pela UFMA, analisa que o cenário político atual de Imperatriz representa bem o cenário político nacional, com campos bem definidos, contando com três candidatos de esquerda e os outros de centro direita. Segundo ele, Mariana Carvalho está no perfil político dos antigos prefeitos da cidade, centro-direita e conservador. O ponto forte da candidata é ser a única mulher em busca do cargo, porém, para o pesquisador, Mariana não levanta uma bandeira feminista e, por isso, não consegue mobilizar uma grande parte das eleitoras. Esse fato anula o seu ponto forte, fazendo que ela se torna apenas mais uma candidata de centro-direita, entre os outros já existentes na disputa.

Foto: reprodução

*Atividade da disciplina Técnicas de Reportagem, do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz (2020.1).