Texto de Lorenna Silva e Oziel Santos

O vídeo para internet apresentou um crescimento exponencial no mercado da comunicação de Imperatriz, sendo o Facebook e Instagram, seus principais meios de consumo. Conforme dados da pesquisa anual realizada pelo Grupo de Mídia São Paulo, a Mídia Dados, Imperatriz é a segunda cidade do Maranhão que mais acessa o Facebook, representando 72,8% do total da população imperatrizense. Dentre as principais atividades praticadas entre seus usuários, destaca-se assistir vídeos postados por outros usuários.

Hoje já existem empresas na cidade que se dedicam a produção profissional de vídeos para redes sociais.“É um mercado novo, muitas empresas que trabalhavam com vídeos para TV aberta mudaram para esse negócio, outras são nativas digitais e que viram que não dava para ficar só na postagem de texto e foto em redes sociais, ambas precisaram se adaptar ao vídeo para esse ambiente, que tem outra linguagem, tamanho e função, mas acredito que a tendência ainda é de crescer bastante”, afirma o professor doutor Lucas Reino, que estuda cibercultura na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Professor Reino destaca crescimento do mercado na cidade

Nos últimos anos, com a popularização dos celulares inteligentes (smartphones), todos com câmeras, grandes telas e acesso à internet de alta velocidade, os vídeos ganharam mais atenção. Os números divulgados pelo próprio Facebook sobre vídeos são impressionantes e reforçam esse crescimento. Meio bilhão de pessoas assistem vídeos diariamente no Facebook; por dia são 100 milhôes de horas assistidas; são 8 bilhões de visualizações de vídeo por dia; de cada seis visualizações, cinco são em celulares; 8%% dos vídeos são assistidos sem som; o crescimento é tão grande que Nicola Mendelsohn, gerente da rede na Europa, África e Oriente médio, afirmou que  até 2021 o acesso vai ser quase que somente por celulares e o conteúdo será predominantemente de vídeo.

Empresas como a Smart Mídias, do jornalista André Ricardo Cadete, que está há 3 anos no mercado de marketing digital e há 2 anos começou a se dedicar a vídeos para redes sociais, tem aproveitado esse mercado para aumentar sua carteira de clientes. “Antes o vídeo era cartelado, como o tempo era muito curto, o cliente tinha a visão que ele tinha que passar a oferta, qual era o produto e o valor. Com as redes sociais facilitou a produção de outros vídeos, não limitando ao tempo de 30 segundos de uma propaganda, hoje as pessoas não querem se conectar com empresas, mas com pessoas, no filme publicitário você consegue se conectar ao público-alvo criando uma empatia maior, assim ele compra o produto”, afirma o empresário.

Essa mudança na linguagem aparece nos vídeos já a partir das demandas dos clientes. “As empresas de pequeno e médio porte costumam solicitar vídeos institucionais, que apresentam a empresa, os valores, as ideias, num sentido amplo, sem focar em vender direto, eles querem criar uma afinidade com o cliente”, explica Ricardo Cadete.

Empresário Ricardo diz que a procura maior são os vídeos

Segundo o professor Lucas Reino essa é uma mudança perceptível e que veio nos últimos anos, com a popularização dos celulares inteligentes (smartphones), todos com câmeras, grandes telas e acesso à internet de alta velocidade. “Como ficou mais barato, aquilo que apenas as grandes empresas faziam, como vídeos de branding, focados em reforçar a imagem da marca como um todo, hoje estão ao alcance das pequenas empresas”, diz o pesquisador.

Preços e Custos

Atualmente, em média, a produção do roteiro, a captação e edição do vídeo é toda digital, o que torna o custo bem menor do que era feito antes com câmeras analógicas e grandes ilhas de edição, sem contar o preço para veiculação na TV aberta. Para um vídeo de um minuto, o valor cobrado parte de um mínimo de R$ 350, podendo ir a números maiores dependendo da necessidade de uma equipe maior, de drones, de tempo de gravação entre outros aspectos técnicos.

Faça você mesmo

Como a grande maiorias dos celulares possuem câmeras e podem gravar vídeos, é possível fazer edições com programas gratuitos, inclusive pelo próprio celular, sem precisar de conhecimentos aprofundados, pelo menos para vídeos simples. COnfira aqui uma lista de editores de vídeo para celulares.

InShot https://play.google.com/store/apps/details?id=com.camerasideas.instashot&hl=pt_BR

KineMasterhttps://play.google.com/store/apps/details?id=com.nexstreaming.app.kinemasterfree&hl=pt_BR

Filmora GOhttps://play.google.com/store/apps/details?id=com.wondershare.filmorago&hl=pt_BR

Premiere Rush https://play.google.com/store/apps/details?id=com.adobe.premiererush.videoeditor&hl=pt_BR

Cute CUThttps://play.google.com/store/apps/details?id=com.mobivio.android.cutecut&hl=pt_BR