Em Imperatriz, o número de demissões é maior do que de admissões

 

Em Imperatriz, entre janeiro e fevereiro deste ano o número de demissões de trabalhadores foi de 2.786 (52.58%) enquanto o de admissões foi de 2.513 (47,42%), segundo a plataforma do cadastro geral de empregados e desempregados (Caged). Em relação ao primeiro trimestre de 2018 houve um aumento de 0,24% no número de desligamentos em diversos setores da cidade. De acordo com o levantamento, o desemprego caiu em 18 estados, porém apresentou um pequeno aumento no Maranhão, entre os anos de 2017 e 2018 o índice variou de 14,3 % para 14,4% na taxa de desemprego, ocupando assim a 4° posição de estados brasileiros com as maiores taxas de desemprego do País.

Essa realidade não atinge apenas o estado do Maranhão. Após dois semestres de queda, o desemprego no Brasil voltou a subir, no total, são de 12,7 milhões de pessoas desempregadas no país, representando um aumento de 12,4% em relação ao último trimestre que encerrou em outubro do ano passado. Segundo dados do último levantamento, divulgado no dia 29 de março de 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE,) o aumento foi de 318 mil pessoas na população considerada desocupada.

“Com a entrada do mês de janeiro, houve um aumento da taxa de desocupação. É algo sazonal, é comum a taxa aumentar nessa época do ano por causa da diminuição da ocupação”, explica o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo.

Ainda segundo o Instituto, a taxa de desemprego em 2018 foi a maior dos últimos sete anos em 13 capitais do país. No Maranhão, a capital São Luís teve alta registrada em 16,4%.

De acordo com o levantamento, o desemprego caiu em 18 estados, porém apresentou um pequeno aumento no Maranhão, entre os anos de 2017 e 2018 o índice variou de 14,3 % para 14,4% na taxa de desemprego, ocupando assim a 4° posição de estados brasileiros com as maiores taxas de desemprego do País.