Por: Natália Paulo, Felipe Costa, Iago Vitor e João Vitor.

Os jogos eletrônicos fazem parte do cotidiano da maioria das pessoas, a comunidade de jogos sempre foi presente em imperatriz, porém até 2019 na cidade não existia um único estabelecimento específico pra isso.A partir de março de 2019 os jogadores encontraram um lugar pra se reunir, a luderia Save Point foi instalada no Shopping Tocantins e é voltada para atender o público interessado em “Board Games” que são jogos de tabuleiro. Após a inauguração no dia 4 de março, o número de interessados nesses jogos aumentou segundo uma das proprietárias Lorena Fonseca, de 34 anos, o público inicial era de 25 pessoas e hoje a luderia recebe em torno de 500 pessoas por mês. Com aproximadamente 21 metros quadrados o espaço suporta em média 40 pessoas sendo 25 sentadas e 15 em pé, o local funciona todos os dias incluindo feriados, das 10 horas às 22horas, e custa apenas R$ 5,00 por 4 horas para brincar com todos os jogos.

Atualmente a luderia Save Point possui quatro proprietários todos apaixonados por jogos de tabuleiro. Inicialmente começaram com 75 jogos próprios, hoje o ambiente conta com mais de 100 jogos para venda e aluguel (exceto os jogos esgotados). O estabelecimento no centro da cidade é um ponto de fácil acesso e conta uma decoração geek de livros e quadros, possui decks, dados, miniaturas e acessórios para venda. Os valores dos tabuleiros para compra variam entre R$50,00 a R$600,00, há jogos para crianças partir de cinco anos e que podem ser adaptados para deficientes visuais. Os frequentadores do local ficam entre 2 a 5 horas nas mesas jogando, há uma variedade de gêneros como: estratégia, RPG, party games e fantasias. “A escolha do ponto foi a partir de observações, o Shopping Tocantins é bem localizado e recebe pessoas de todas as idades. Começamos com 75 jogos, a maioria era nossa de coleção, hoje temos mais de 100 jogos de tabuleiro. Os jogos que mais saem são os party games, que são mini jogos jogados em equipe para animar a festa e ter interação, sem necessariamente ter competição”, afirmou Lorena.

Lorena diz que luderia recebe em torno de 500 pessoas por mês

Segundo o designer gráfico e jogador de Magic há cinco anos, Ynglia Ryan, de 21 anos, antes da luderia não havia ponto de compra de cartas, as compras eram feitas pela internet ou em eventos de animes. Mesmo assim era escasso. A comunidade procurava locais alternativos para jogar, “comecei a jogar no recreio do colégio, principalmente por influência do meu irmão”, explica e complementa “o point era a Praça de Fátima, juntava oito caras e iam jogar. Depois a gente mudou pra praça de alimentação do shopping e comprávamos as cartas pela internet e atualmente a gente se reúne aqui na Save Point e compramos as cartas aqui mesmo”.

A luderia hoje é um ponto de encontro entre amigos, grupos e desconhecidos, formados por jogadores amadores, experientes ou por iniciantes que estão ali apenas por curiosidade. A estudante Agnes Fatechi, 15 anos, é uma das clientes da luderia diz que, após mudar de escola a Save point se tornou um ponto de reencontro com seus colegas, e que apesar de o ambiente ser por mais frequentado por homens ela não se intimida em participar. “Jogar RPG pra mim, é como tocar piano, parece difícil, porém é fácil. O ambiente formado mais por homens não me incomoda, me sinto a vontade jogando aqui”, contou e complementou “O espaço é bem legal e a gente se diverte bastante montando estratégias no jogo e conversando. Virou nosso Point”.

Mesmo com as opções de jogos online e eletrônicos, Lorena acredita que o Board game proporciona interação entre os jogadores, a luderia acaba se tornando uma segunda casa para os jogadores que permanecem por horas, face à face com os amigos planejando estratégias. “A gente pretende desenvolver a cultura de jogar pessoalmente e sair do videogame, é um conceito diferente, não é só loja, é saber que há um espaço pra pessoa conviver, encontrar os amigos e conversar enquanto se diverte com os games”, explicou.

Distante da luderia

Antes da inauguração da luderia as pessoas buscavam lugares alternativos para jogar com os amigos é o caso da professora universitária Michelly Carvalho, de 34 anos que não abre mão do conforto de sua casa, e assim as reuniões de jogos são intimas e longe do alvoroço de luderias. Michelly acredita que o mercado de jogos no Brasil está crescendo agora e parte desse atraso é culpa da cultura brasileira que não tem o costume de jogar e não recebe incentivo do comercio, “Acredito que o mercado de jogos em Imperatriz ainda está no início, pois não se tem uma cultura de jogos de tabuleiro por aqui, ao contrário da Europa um casal de amigos me apresentou a prática, na Europa existem longos períodos de inverno que obrigam as pessoas á ficar mais tempo em casa e por conta disso são mais incentivadas a comprar jogos de tabuleiro para reunir os amigos, também há o incentivo dos preços já que os jogos costumam ser muito mais baratos” afirmou.

O Professor Filipe Ferreira, de 38 anos, todo fim de semana reúne seus amigos para jogar em sua casa, o seu grupo de jogos é formado apenas por pessoas próximas, acredita também que os jogos online não representam ameaça para os Board Games, “Não nego que seja diferente, mas nem sempre da para combinar com os amigos, então é legal jogar online. Mas prefiro sim, jogar tabuleiro com amigos”, contou.

O Bancário Diego Correria, de 34 anos enxerga os jogos online com um pouco mais de otimismo, “acredito que jogar virtualmente um jogo de tabuleiro ou outro tipo, é apenas mais uma forma de jogar. E isso facilita as relações distantes, com os meios digitais podemos jogar uma partida com um amigo que está do outro lado do mundo, facilmente”, explicou.

Se você não conhece nada ainda, não tem problema. A luderia realiza eventos onde os iniciantes podem ganhar cartas, eles recomendam jogos a partir do seu gosto e ensinam as regras, além de auxiliar com instruções dos jogos de tabuleiro. Dessa forma fica mais fácil se inserir nesse mundo.

Competição além da diversão

O engenheiro elétrico, Pedro Henrique, de 21 anos, participante das classificatórias do LATAM Series (torneio continental, que reúne os melhores jogadores da América Latina) representando Imperatriz pela luderia Save Point, vê a possibilidade de entrar no cenário competitivo de Magic difícil, as dificuldades começam com a falta de oportunidades e patrocínio “Dinheiro é o que falta na verdade, e não tive oportunidade ainda de mostrar o meu valor e ganhar patrocínio”, contou. Pedro acredita que com o cadastro da luderia nos torneios competitivos facilita de certa forma a vida dele e de outros jogadores da cidade de Imperatriz ao ingresso da profissionalização no jogo, mas afirma que já investe com seu sócio no cenário profissional. “Na realidade já estou investindo no cenário competitivo, montar os decks competitivos já é um grande investimento, jogar os torneios competitivos são outro passo”, diz.  “Participando de torneios semanais na loja eu gasto R$ 120,00 por mês e mais uns R$ 200,00 a R$300,00 reais gastando com o jogo em si, esse mês eu e meu sócio gastamos muito pra fechar nossos decks pra liga dos campeões que vai acorrer”, contou Pedro. O jogador diz que os seus decks mais caros variam entre R$500 a R$3.500, ele explica que pelo preço das cartas muitas vezes não serem acessíveis acaba afastando muitos jogadores com potencial, mas ainda há várias formas de jogar Magic sem precisar gastar tanto, mas não deixa de ser caro.

SERVIÇO

Save Point

Onde: Rua Piauí, 580, centro — Shopping Tocantins — segundo piso (Imperatriz — MA)

Funcionamento: Todos os dias: 10h às 22h

Preço: R$5,00 por 4 horas (taxa individual por período)

Site: https://savepointluderia.com.br/?view=ecom/home