O espiritismo é considerado a quarta religião com maior número de fiéis em Imperatriz, de acordo com o IBGE são 1.135 pessoas que são espíritas. Recentemente, repercutiu-se em diversos veículos noticiosos as acusações de abuso sexual contra o médium João de Deus, responsável pelos atendimentos espirituais feitos na casa criada por ele, a Dom Inácio de Loyola, na cidade de Abadiânia em Goiás.

Para esclarecer e tirar dúvidas acerca do espiritismo e se há alguma relação entre a doutrina espírita e o trabalho que é feito pelo médium João de Deus, conversamos com o presidente do Centro Espírita André Luíz de Imperatriz, Ramsés Mesquita. Confira:

Imperatriz Notícias: Desde quando você é presidente do Centro Espírita André Luíz?

Ramsés Mesquita: Já há algum tempo, meu pais Raimundo Pereira e Antônia Maria foram fundadores do centro, juntamente com outras pessoas. Como eu nasci num berço espírita, fui crescendo nesse ambiente, com o passar do tempo eu e meu irmão tivemos que assumir, por eles já estarem idosos. O centro espírita foi fundado em 22 de maio de 1974.

IN: Como foi o início do seu percurso na doutrina espírita?

RM: Desde criança eu via meus pais lendo os livros espírita, passei a ter curiosidade. E comecei a ler os livros, primeiro foi o Livro dos Espíritos de Allan Kardec que é basicamente a obra base da doutrina, cada livro que eu lia aumentava mais a certeza dessa doutrina que vivencio há muito tempo.

IN: Já vivenciou algum preconceito por conta de você ser espírita?

RM: Já, recebo esses preconceitos na forma de zombaria, incompreensão e nojo. É ignorância mesmo das pessoas por não compreenderem o que é a doutrina espírita, tendem a associar com coisas ruins. As pessoas se afastam e nos evitam, não é aquele preconceito direto mas é perceptível, como falar que temos pacto com o demônio, coisas assim.

IN: Como você avalia a presença da doutrina em Imperatriz? Vocês tem espaço nos meios de comunicação?

RM: O movimento espírita aqui é bom, muito bom, busca fazer sempre eventos e divulgar o espiritismo. Ainda faltam os espíritas participarem, muitos são tímidos no movimento espírita. A gente precisa arregaçar as mangas e fazer mais pela doutrina. Graças a Deus os meios de comunicação tem cedido espaço para divulgarmos a doutrina espírita, alguns tem um certo preconceito, cedem pouco espaço ou nenhum espaço, mas os principais veículos sempre tem sido muito graciosos para o movimento espírita.

 

Palestras são realizadas todas as segundas no centro espírita

IN: O que é o espiritismo?

RM: O espiritismo é o consolador revelado e prometido por Jesus, em que vieram uma falange de espíritos e realmente cumpriram essa promessa de Jesus de revelar essa grande doutrina que é o espiritismo. Ela veio revelar toda a verdade, conforme Jesus fala no evangelho e relembrar tudo o que ele disse. Então, acreditamos que ela é a terceira grande revelação, a primeira é o judaísmo, a segunda o cristianismo e a terceira o espiritismo. A doutrina possui três aspectos que são a ciência, a filosofia e a religião, as outras religiões tem aquela separação entre ciência e religião, filosofia e religião. Já a doutrina espírita tem a junção dos três em uma só religião, essa é a sua grande vantagem, porque ela possui as três chaves do conhecimento para abrir a porta da verdade. É científica por revelar um novo mundo, o mundo espiritual, que é não revelado pelas outras religiões, com base em dados e experiência que realmente são comprovados por métodos científicos. É filosofia porque nos mostra de onde viemos, para onde vamos, porque nós estamos aqui, qual a razão das nossas dores. É religião porque nos liga com o nosso Deus, o pai maior.

IN: Logo, é correto afirmar que ela tem total ligação com o que está presente na bíblia?

RM: Ela é a continuação da bíblia, em certa passagem Jesus diz “ainda tenho muitas coisas a vos dizer mas ainda não podeis suportar”, ele sabia que naquele tempo a ciência não estava desenvolvida e a filosofia ainda estava muito materialista e estreita. Então, foi preciso que houvesse um desenvolvimento para que se revalasse a verdade que ele tinha para nos dizer, momento esse que surgiu na época do iluminismo, foi quando veio à tona o espiritismo.

IN: O que é uma pessoa médium?

RM: É a pessoa que possui o sentido da comunicação com o mundo espiritual mais aguçado, todos nós temos essa mediunidade mas algumas pessoas tem ele mais aguçado, conseguem ver ou ouvir com mais facilidade o que ocorre no mundo espiritual. Como exemplo de mediunidade que todos possuem, temos a intuição e os sonhos. O médium não é Deus, não é um ser especial, a maioria deles são endividados por ações do passado, e através da mediunidade eles podem ajudar outras tantas milhares de pessoas, e com isso pagar os débitos do passado.

IN: Em relação ao caso que teve repercussão nacional e internacional, João de Deus e as acusações de abuso sexual, ela possui alguma ligação com o espiritismo?

RM: Sobre o caso nós queremos ressaltar que João de Deus não é espírita como algumas pessoas falam, ele é espiritualista, ele acredita no espiritismo assim como acredita em várias outras doutrinas espiritualista. Só o aspecto exterior da casa Dom Inácio de Loyola já dá de ver que não é espírita, porque lá as pessoas se vestem de branco o que não é um requerimento espírita, não precisamos de nenhuma farda ou uniforme para participar das reuniões espíritas. No espiritismo não se faz cobranças como era feito na farmácia da casa, além disso não fazemos atendimentos particulares, entre só a pessoa e o médium, só a pessoa e o espírita.

IN: E a questão da mediunidade, qual a diferença que há entre João de Deus e Chico Xavier?

Chico foi o médium espírita perfeito, ele não cobrava nada, vendeu entre 50 milhões de livros e todo o dinheiro foi doado para as instituições de caridade. Chico Xavier foi um espírita que vivia de forma simples, sem luxo e bens materiais. Ele é o exemplo máximo de verdadeiro médium espírita.

I.N: Como esse caso pode trazer consequências negativas para doutrina?

RM: É bom que esses casos ocorram, Jesus afirmou isso “é necessário que o escândalo venha, mas é ruim daquele pelo qual o escândalo veio”. Então, o escândalo tem que vir para mostrar a verdade por detrás dos palanques, através dele podemos mostrar o que é o espiritismo, como é o espírita, como ele deve se comportar. É uma grande oportunidade para esclarecermos para a sociedade quais os verdadeiros médiuns espíritas.

IN: Quais reflexões que esse caso do médium João de Deus podem nos trazer?

RM: Muitas pessoas vem atrás do espiritismo e da mediunidade como se fosse um lugar em que vai haver milagres e que a vida delas serão transformadas de uma hora pra outra, porém o grande sentido do espiritismo não é curar corpos, e sim curar alma. As almas são curadas assim que as pessoas tomam a consciência de que para o próprio bem dela deve-se aprender a amar uns aos outros, como Jesus fez e ensinou. A verdadeira cura integral está na vivência dos princípios morais de Jesus. Então, a pessoa deve ir buscar o espiritismo consciente de que a doutrina não vai resolver seus problemas materiais, isso as pessoas consegue resolver através da sua dedicação ao trabalho e aos estudos. As pessoas não devem procurar no médium um Deus que vai resolver todos os seus problemas e principalmente os problemas materiais, o médium é apenas um intermediário do alto.