Texto e fotos de Lucas Vale Moreira

Preço do sushi subiu de novo em Imperatriz. O aumento ocorre, cerca de seis meses após o último acréscimo, com valores cujos reajustes estão entre 30 e 40% a mais no valor final do prato. Dos seis restaurantes que oferecem este seguimento alimentício, quatro estão localizados no centro da cidade e de acordo com a maioria desses estabelecimentos e deliveries, a culpa pelo aumento é resultado da crise financeira e das altas cargas tributárias praticadas Brasil. Como foi o caso do restaurante Sushi Naru, situado na rua Godofredo Viana, no centro. “Aumentamos o que me foi passado em impostos, água, luz, aluguel e salários. Não tem segredo”, detalha Matilde de Amorim Nepomuceno, proprietária do local.

Prato japonês está mais caro em Imperatriz

Prato japonês está mais caro em Imperatriz

Contudo, o restaurante Nagasaki, um dos pioneiros da culinária japonesa em Imperatriz, apresenta outro motivo para o aumento nos preços. De acordo com Paulo Gomes, garçom mais antigo do estabelecimento, “os novos valores repassados ao consumidor se devem ao preço da importação do salmão (fresco) chileno. Antes, comprávamos a R$ 28,00 o quilo, hoje compramos a R$ 58,00”.

Segundo o Sernapesca (Serviço Nacional de Pesca e Aquicultura Chileno), no último mês o pescado proveniente do Chile obteve alta significativa após “surto” de algas marinhas que, influenciado pelo fenômeno climático El Niño, causou a morte de aproximadamente 25 milhões de peixes o equivalente a 40 mil toneladas. O Chile é o principal fornecedor de salmão para o Brasil, que não possui produção própria.

Felizmente ainda existem aqueles em que o aumento foi mínimo, como o restaurante Taipan, localizado na BR-010, Imperial Shopping, com aumento registrado de apenas R$0,20 informado pela atendente de caixa Caterine Leilane. E com a abertura de novos restaurantes e deliveries, a concorrência favorece o consumidor amante da culinária oriental, possibilitando custos variados, em que as empresas oferecem opções para todo tipo de “bolso”, com vendas no quilo a partir de R$80,00, rodízios a R$60,00 e peças em torno de R$2,00.