Texto: Fernanda Pillar

Fotos: Reprodução

O projeto de desenvolvimento do aplicativo “Tô de Bike”, em Imperatriz, pretende gerar renda extra a donos de bicicletas que estão em desuso – através do aluguel desses objetos. Além do lucro gerado ao proprietário, aspiradores à experiência com o ciclismo, mas que estão inseguros quanto à permanência, pouparão alto investimento. A proposta foi validada na cidade e vai ser desenvolvida por uma equipe de 10 pessoas: um talent acquisition, um programador e 8 agentes locais de inovação. Ainda não há expectativa de prazo para a inauguração da plataforma.

Aplicativo vai mapear bicicletas disponíveis para aluguel

Aplicativo vai mapear bicicletas disponíveis para aluguel

O primeiro passo da utilização é o cadastro do dono do produto no sistema, que expõe sua bicicleta através de imagens e a categoriza de acordo com a atividade na qual se encaixa (urbana, montal bike, speed ou híbrida). O usuário disposto a alugar, tendo acesso aos dados, examina qual dos objetos disponíveis mais se adéqua às suas necessidades. O preço varia de acordo com a categorização: a média estipulada é de R$ 50,00.

Segundo Judar Lima “no Brasil, a compra de uma bicicleta tem mais de 40% de tributação, pra quem quer entrar na prática é um investimento muito alto”. Apesar de a equipe conseguir provar êxito no mercado de trabalho da cidade, Vivianne Saboia, idealizadora do projeto, afirmou que, por enquanto, não há expectativa de prazo para a aplicação da plataforma. “No começo de novembro vamos para uma aceleração de startup, e só então teremos uma ideia”, disse.

A proposta do “Tô de Bike” venceu o 1º Startup Weekend Imperatriz – programação mundial que incentiva o empreendedorismo por meio da originalidade de ideias. O evento reúne profissionais das áreas de gestão, comunicação, marketing e tecnologia que desenvolvem ou criam um projeto em 54 horas.

“Você tem uma bike que está parada 99% do tempo, e você pode sair pra monetizar essa bike e gerar renda com ela”, salienta um dos jurados do evento e fundador do Portal Telemedicina, Rafael Figueiroa, “também tem a sustentabilidade, não tem que fabricar mais coisas e sim compartilhar coisas que já existem”.  A escolha do “Tô de Bike” como pertencente ao primeiro lugar foi unânime entre os jurados.

A validação do projeto em Imperatriz ocorreu através de uma pesquisa de campo onde 170 pessoas foram entrevistadas. Dessas, 24% escolheram o ciclismo como primeira opção de atividade física. Dentro dessa porcentagem, dezenove aspirantes ao ciclismo fecharam negócio apenas na pré-venda do aplicativo, contabilizando um total de R$ 950 em apenas dois dias de pesquisa.