Texto e fotos de Leonardo Araújo

 

Rápido e eficiente, o serviço de mototáxi em Imperatriz conta com cerca de 650 profissionais credenciados em 30 estacionamentos exclusivos regulados pelo Conselho Estadual de Trânsito (Cetran). Meio transporte mais utilizados pelos pela população no período da noite, uma vez que as linhas de ônibus coletivos param de circular às 23 horas, usuários reclamam das recusas que os profissionais fazem para bairros distantes do centro. Já os mototaxista alegam riscos como falta de segurança, vulnerabilidade, assaltos e até assassinatos aos quais são expostos.

moto2

Profissionais recusam corridas em alguns bairros da cidade

Embora o sindicato da categoria não tenha um levantamento da violência que o profissional sobre ao trabalhar à noite, por conta do medo alguns pilotos de mototáxi não trabalham no período noturno. Os assaltos são os principais motivos. O mototaxista Ney Borges, 39 anos, está há 10 anos no ramo. Seu expediente de trabalho vai até as 22 horas. Ele relata que já foi assaltado durante a madrugada, fato que o fez parar de trabalhar no período. Como precaução, o destino final do trajeto pode causar a recusa em fazer a corrida. “Pergunto onde vai, se o cliente não sabe bem onde é a rua e o local, já desconfio”, explica.

A operadora de caixa Erlany Rodrigues, 29 anos, sai do seu emprego depois das 23 horas e usa diariamente o serviço de mototáxi. Moradora do bairro Cafeteira, no início ela conta que sempre tinha suas corridas recusadas.  “Apesar de ser mulher muitos se recusavam a me levar, por causa do meu bairro”, lamenta. Como solução, Erlany criou laços de amizades com o mototaxista na qual se sente segura e contratou o serviço que paga mensalmente.

Mototaxista Juvenal Mendes, 55 anos, trabalha na noite às vezes, mas só faz corrida “marcada” quando o cliente já contratou seus serviços, “Quem anda de mototáxi à noite, já tem o seu próprio mototaxista, isso é bom tanto para mim quanto para o cliente”, orienta.

 

 

Confira abaixo os  bairros recusados, segundo os mototaxistas.

Bairros mais recusados Distância do centro de Impearatiz
Vila Leandra Três Quilômetros
Vila Cafeteira Três Quilômetros
Conjunto Planalto Seis Quilômetros
Vila Fiquene Oito Quilômetros
Brasil Novo Sete Quilômetros

 

Expediente noturno – Com seu estacionamento em frente do hospital municipal, Ítalo Pereira, 25 anos, trabalha há seis meses na profissão. Novato no ramo, o mototaxista conta o que recusa fazer corridas aos bairros Vila Leandra, Caema e Cafeteira. “São os bairros únicos que não vou pelo dinheiro que for”, garante. Mesmo sem ter sofrido nenhum assalto, o piloto conta outra prática comum na madrugada, o chamado “pombo”. “Já ocorreu muitas vezes, de a gente fazer a corrida e o passageiro não pagar”, diz.

Sindicato – Presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Imperatriz, Francisco Alencar, não aconselha os pilotos a recusarem corridas e que algumas medidas podem ser feitas para maior segurança. “O trajeto pode ser feito, existe caso que podem ir dois profissionais, um para dar segurança ao outro”, sugere.

Aos usuários que enfrentarem recusas, Alencar pede aos clientes que peguem os números dos pilotos e façam a denúncia direta no ministério público onde o mesmo tomará medidas cabíveis. Em contato com a assessoria de imprensa do promotor público Sandro Bíscaro, a promotoria relata que em tese os mototaxistas não poderiam recusar as corridas, mas não há uma lei que os proíbem.

Mas se o serviço é perigoso para o mototaxistas, também pode ser para o passageiro. Por isso o sindicato dá dicas aos usuários para que contratem apensa profissionais legalizados. Como identificá-los? Veja as dicas dadas pelo Sindicato:

  1. Moto Amarela
  2. Número do mototaxista na moto, capacete e colete
  3. Placa vermelha
  4. Veículos que estão nos estacionamentos exclusivos para mototáxi
  5. Kit de segurança para as motocicletas (antena corta-pipas e aparador de pernas e usar colete refletivo e equipamentos de proteção individuais como cotoveleiras, joelheiras e luvas)
Confira se o mototaxista é autorizado antes de contratar a corrida

Confira se o mototaxista é autorizado antes de contratar a corrida

Preço – A tabela que regulamenta as tarifas de mototáxi foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pela Prefeitura por meio da Lei Ordinária nº 1.492/2012. Reajustada a tabela para 2016 ainda não foi homologada pelo município, o presidente do sindicato aguarda o poder executivo para que as novas tarifas sejam aplicadas em Imperatriz, assim como acontece com as tarifas de ônibus e táxi.

 

Tabela de preços em vigor de acordo com a Lei Ordinária nº 1.492/2012, que regulamenta o valor da tarifa para o serviço de mototáxi de Imperatriz.

Corridas Preço
Do Centro/BR-010 ao Jardim Tropical, Parque das Estrelas, Vila Redenção II e Parque das Palmeiras R$ 6,00
Do Centro/BR-010 a Vila Fiquene, Parque Airton Senna, Parque Alvorada I e II, Conjunto Vitória, Habitar Brasil, Vila Cafeteira, Vila Ipiranga, João Castelo, Parque Amazonas, Mutirão, Vila Esmeralda e Brasil Novo R$ 7,00
Da Avenida Bernardo Sayão a Vila Lobão e Redenção I R$ 5,00
Da Avenida Bernardo Sayão ao Cefet, Conjunto Planalto, São José, Imigrantes, Vila Macedo e Ouro Verde R$ 7,00
Da Avenida Bernardo Sayão ao Santa Rita, Bom Sucesso, Santa Inês, Boca da Mata, Asa Norte, Cinco Irmãos, Vereda Tropical e Jardim Cristo Rei R$ 5,00
Da rua 15 de Novembro ao Parque do Buriti, Parque Anhanguera e Vilinha o valor da corrida R$ 5,00
Da rua Henrique Dias ao Bairros Caema, São José do Egito, Bacuri, Nova Imperatriz e Entroncamento R$ 4,00
Da rua Henrique Dias ao Jardim São Luís R$ 5,00
Da Henrique Dias ao Parque Santa Lúcia, Residencial 5 Estrela e Parque de Exposições R$ 6,00

Fonte: Prefeitura Municipal de Imperatriz

 

Tabela de preços de acordo com a Lei Ordinária nº 1.492/2012, com acréscimo de 30% após as 23 horas.

Corridas Preço
Do Centro/BR-010 ao Jardim Tropical, Parque das Estrelas, Vila Redenção II e Parque das Palmeiras R$ 7,80
Do Centro/BR-010 a Vila Fiquene, Parque Airton Senna, Parque Alvorada I e II, Conjunto Vitória, Habitar Brasil, Vila Cafeteira, Vila Ipiranga, João Castelo, Parque Amazonas, Mutirão, Vila Esmeralda e Brasil Novo R$ 9,10
Da Avenida Bernardo Sayão a Vila Lobão e Redenção I R$ 6,50
Da Avenida Bernardo Sayão ao Cefet, Conjunto Planalto, São José, Imigrantes, Vila Macedo e Ouro Verde R$ 9,10
Da Avenida Bernardo Sayão ao Santa Rita, Bom Sucesso, Santa Inês, Boca da Mata, Asa Norte, Cinco Irmãos, Vereda Tropical e Jardim Cristo Rei R$ 6,50
Da rua 15 de Novembro ao Parque do Buriti, Parque Anhanguera e Vilinha R$ 6,50
Da rua Henrique Dias ao Bairros Caema, São José do Egito, Bacuri, Nova Imperatriz e Entroncamento R$ 5,20
Da rua Henrique Dias ao Jardim São Luís R$ 6,50
Da Henrique Dias ao Parque Santa Lúcia, Residencial 5 Estrela e Parque de Exposições R$ 7,80