Texto de Déborah Costa Ferreira e Rutielle Barrozo Alves

Pauta: Angela Lima Freitas

Fotógrafos: Déborah Costa Ferreira e Rutielle Barrozo Alves

A procura por exemplares  de jornais impressos em revistarias de Imperatriz é pequena, mas algumas pessoas continuam com o hábito de comprar diariamente. Segundo o proprietário da Revistaria Brasil, localizada na Praça Brasil, as vendas dependem muito das notícias que são publicadas nas capas dos jornais e em média os que possuem mais saídas das bancas são os veículos regionais, como O progresso e O Estado. De acordo com o proprietário, as pessoas que mais consomem o jornal impresso são idosas.

De acordo dados do jornal  Progresso, são distribuídos 3.200 jornais por dia em Imperatriz e cidades vizinhas, sendo eles nas bancas ou assinantes. Segundo o representante de jornal, Carlos Magno Sanches, são oferecidos também jornal online pelo O Progresso e pelo O Estado, podendo eles ser compartilhados via WhatsApp.

“A demanda de jornais é pequena, mas o povo ainda gosta de ver as notícias, principalmente as pessoas mais velhas”, garante Rafael de Lene, dono da Revistaria Brasil. Os clientes que compram jornais impressos são fiéis, mas nem todos procuram por notícias. Conforme Lene, muitos compram apenas para retirar os editais de casamento. Segundo o proprietário, são oferecidos em média 15 jornais do O Progresso e 5 do Estado de Maranhão por dia. Números bem menores que em outras épocas, quando o vendedor garante que a venda de jornais superava de 30 a 40 exemplares por dia.

Na banca do seu Chico, localizada na Avenida Getúlio Vargas na Praça de Fátima, apesar do movimento das vendas também ter diminuído bastante com o passar do tempo, de acordo com o dono da banca ainda existem muitos leitores que preservam o hábito de comprar seu jornal diariamente. “As pessoas passam aqui antes de ir para o trabalho e compram o seu jornal para poder ser atualizar das notícias do dia, outras compram e ficam sentadas aqui mesmo na praça, lendo enquanto conversam”, afirma o jornaleiro.

Leitores de jornais impressos 

Idosos são público fiel do jornal impresso na cidade

Mesmo com o hábito de leitura se tornando cada vez menos frequente, em Imperatriz ainda é possível encontrar leitores que acompanham diariamente as notícias publicadas nos jornais impressos. José Sirqueira de Amorim, 76 anos, é um exemplo destes. Todo o dia se atualiza nas páginas dos jornais e prefere a leitura no papel do que os noticiários da TV. “Prefiro ler segurando meu jornal do que assistir pela televisão que resume os acontecimentos e por aqui ainda tenho acesso a muitas notícias que não passam na televisão”, diz o aposentado.

De acordo com o economista Ronaldo Santos de Morais, que também consome deste veículo, os jornais comprados diariamente são na maioria das vezes descartados pelos seus consumidores ou devolvidos no dia seguinte nas bancas. Completa que muitos dos que leem o jornal impresso preferem comprar o seu jornal e folhear página por página, do que simplesmente acessar determinados sites.

“Por questão de gosto, não assisto televisão ou acompanho sites, além do meu tempo ser bastante curto em casa no período do dia, prefiro comprar o jornal cedo e ficar ligado em todas as notícias do que esperar pela noite quando o horário de trabalho acaba”, confirma Ronaldo.