Bolsonaro volta a defender voto imprenso e critica CPI da Covid-19

Foto: Reprodução

Em live semanal ocorrida nesta quinta-feira (01), o presidente da república, Jair Bolsonaro tornou a defender o voto impresso como solução para uma politica mais limpa e disse que a CPI, comissão parlamentar de inquéritos que investiga supostas irregularidades nas ações do governo federal durante a pandemia da covid-19 é uma “palhaçada”, que está apenas atrapalhando o governo, afirmando que ela não “fez nada” para diminuir o número de mortes no país.

Na transmissão ao vivo, que acontece em meio a varias polêmicas e supostas irregularidades do governo nas negociações de compra de vacinas contra a covid-19 reveladas pelo Jornal Folha de São Paulo, o presidente se defendeu das acusações e voltou atacar a CPI, afirmando que a todo tempo ela –CPI- tenta atingir o governo. Ele também atacou parlamentares da oposição que compõe a comissão que investiga denuncias de corrupção em meio à pandemia, envolvendo o Ministério da saúde.

O presidente também criticou a emenda de Omar Assis que permite os estados e municípios a comparem vacinas sem “licitações” e sem “registro” da Anvisa. E também a lei que permite condenar médicos que receitassem medicamentos para doenças que não estão mencionados nas bulas dos medicamentos.  Por último, criticou a decisão de STF de conceder direito a governadores e prefeitos a não depor e afirmou que a CPI é uma “vergonha”.

Leia também